Franklin U.S. Opportunities Fund: enfoque em empresas growth


Franklin Templeton Investment Funds (FTIF) - Franklin U.S. Opportunities Fund

1. Breve descrição do fundo

O FTIF – Franklin U.S Opportunities Fund procura a valorização de capital ao investir principalmente em títulos de ações de emissores norte-americanos que demonstram crescimento acelerado, rentabilidade crescente ou crescimento acima da média. Os gestores do fundo procuram empresas growth em todas as indústrias e em todo o espectro de capitalização de mercado.

2. Principais diferenças face a produtos semelhantes no mercado

Acreditamos que os pontos seguintes são as principais vantagens competitivas do FTIF – Franklin U.S Opportunities Fund:

Exposição a empresas growth de alto nível dos EUA

O mandato do fundo é proporcionar aos investidores exposição a empresas líderes nas suas respetivas áreas que cumpram com os critérios rigorosos de qualidade, crescimento e valorização. Os gestores do fundo identificam e investem em empresas que exibem o potencial para crescimento de receitas a longo-prazo, rentabilidade superior e vantagens competitivas sustentáveis e significativas, tal como propriedade intelectual própria, barreiras à entrada e uma forte liderança de empresa juntamente com uma execução consistente.

Investir no maior e mais resiliente mercado acionista

Os Estados Unidos são o maior mercado acionista e mais líquido do mundo, representando mais de 50% do MSCI All Country World Index. O fundo tem uma exposição a ações de multi-cap norte-americanas, representando empresas dos EUA financeiramente sólidas com fundamentais sólidos.

Um portfolio bem diversificado, multi-cap e de multi-indústria

O fundo investe em mais de 35 indústrias e em empresas de diversas capitalizações de mercado em áreas líderes em growth, bem como tecnologia, biotecnologia e comunicações. Os gestores procuram o melhor trade-off entre oportunidade de growth, valorização e risco de negócio e financeiro.

3. Objetivos de investimento

A estratégia Franklin U.S. Opportunity procura ultrapassar o benchmark, o Russell 3000 Growth Index durante um ciclo de mercado completo, ao investir naquilo que considera ser empresas líderes em growth norte-americanas ao longo de todas as indústrias e capitalizações de mercado.

4. Abordagem de investimento

O gestor é um investidor fundamental e orientado para o research, seguindo uma estratégia de growth all cap. A equipa de investimento utiliza research bottom-up para identificar empresas com potencial de crescimento sustentável que cumpram com critérios altamente específicos de growth, qualidade e valorização. As empresas nas quais investimos demonstram ganhos sustentáveis e crescimento de fluxos de caixa, equipas de gestão fortes e perfis de risco/retorno atrativos. O fundo investe ao longo de um espetro de capitalização de mercado – desde empresas pequenas e de crescimento emergente a empresas de grande capitalização, bem estabelecidas.

5. Restrições de investimento:

a) Posicionamento

Ponderações entre emissões variam ao longo do portfolio, mas os gestores normalmente preferem não investir mais de 5% de ativos de um portfolio numa única empresa.

b) Geográficas

O fundo investe principalmente em títulos acionistas de empresas norte-americanas que demonstrem crescimento acelerado, rentabilidade elevada ou crescimento acima da média ou possível crescimento em relação à economia em geral.

 A estratégia só pode investir até 10% dos seus ativos totais em títulos estrangeiros, incluindo mercados emergentes não norte-americanos.

c) Setoriais

Alocações a setores e indústrias são um reflexo do processo de seleção bottom-up baseado em research in-house, uma vez que a equipa de gestão se foca nas melhores ideias de investimento ao longo do universo de investimento. As ponderações de indústria são limitadas a 25% dos ativos totais.

6. Benchmark e tracking error

O benchmark para a estratégia Franklin U.S. Opportunities é o Russell 3000 Growth Index, e tem sido desde a sua origem em 1999. O Russell 3000 Growth Index mede a performance do vasto segmento growth do universo acionista dos EUA. Inclui aquelas empresas do Russell 3000 Index com rácios elevados price-to-book e elevados valores de crescimento previstos. O benchmark é usado como fonte de comparação, em vez de uma ferramenta para seleções de ações e construções de carteiras. Implementamos uma abordagem bottom-up e, assim, o portfolio pode desviar significativamente do benchmark.

Como gestor bottom-up, não gerimos ativamente os portfolios do Franklin U.S. Opportunities contra o benchmark e não definimos metas em termos de tracking error. Contudo, o tracking error é monitorizado e implementado como meio de reavaliar continuamente as posições de um portfolio.

7. Número de títulos e rotatividade

O número de títulos do FTIF – Franklin U.S. Opportunities Fund no dia 30 de junho 2018 é de 84, excluindo cash e cash equivalent.

Com referência a 30 de junho 2018, a rotatividade anual da carteira do FTIF – Franklin U.S. Opportunities Fund era de 59,79%.

8. Política de risco

Utilizamos os seguintes controlos de risco ao nível de construção da carteira:

  • Posições de ações min/máx: ponderações entre emissões variam ao longo da carteira, com tamanhos de posições médias no intervalo de 1%-2%. O intervalo completo de tamanhos de posições é normalmente de 0,5%-5%. As ponderações dentro da carteira refletem a convicção do gestor na ação, com a intenção de receber lucros de diversificação sem diluir o impacto das nossas melhores ideias. O intervalo normal dos títulos do portfolio é entre 60 e 90 títulos de várias capitalizações de mercado.
  • Alocação a indústria/setor: as ponderações das indústrias são limitadas a 25% dos ativos da carteira. Alocações a setores e indústrias são, em grande medida, um reflexo do processo de seleção bottom-up baseado no research in-house, uma vez que a equipa de gestão se concentra nas melhores ideias de investimento ao longo do universo de investimento.
  • Cash Policy: a alocação a cash é utilizada para fins de liquidez e operacionais, em vez de uma classe de ativo separada. A nossa intenção é permanecer sempre investidos totalmente em ações. Pretendemos manter uma cash position de menos de 5%.
  • Limites de capitalização: Investimos ao longo do espetro de mercado de capitalização. No entanto, as alocações de portfolios podem mudar dependendo das oportunidades que vemos no mercado.

Gestão de risco a nível de empresa

A gestão de risco a nível de empresa é realizada pelo Grupo de Gestão de Risco de Investimento que analisa as componentes de tracking error dentro do portfolio.

9. Política de liquidez

A estratégia Franklin U.S. Opportunities tem poucas preocupações com a liquidez, uma vez que investe em títulos altamente líquidos. Contudo, o volume de transação de diária de um título é um fator que é considerado quando se constrói o portfolio, uma vez que permanecemos vigilantes em relação ao risco de liquidez no mercado. As nossas equipas de gestão de risco e de trading trabalham em conjunto para assegurar que o volume de transação num título permanece abaixo de uma determinada percentagem do volume de transação geral do título, a fim de assegurar uma liquidez adequada, se necessário. As ações que não cumpram com os requisitos mínimos de liquidez e risco são evitadas.

Adicionalmente, o Committee de Valorização (VC) multifuncional da Franklin Templeton fornece supervisão e administração das políticas e procedimentos aplicando uma determinação de valorização justa e de liquidez de títulos detidas nos portfolios da Franklin Templeton. A estratégia pretende adquirir títulos líquidos, embora não haja garantias de que será possível.

Para tirar partido do maior conjunto de oportunidades possível, os gestores de portfolio e analistas de research procuram empresas growth ao longo de espetro total de capitalização de mercado. Não estão estabelecidas matrizes de capitalização de mercado mínimas. No entanto, por razões práticas os analistas procuram normalmente empresas com capitalizações de mercado acima dos 300 milhões de dólares norte-americanos. Os gestores de carteiras também preferem geralmente não deter mais de 10% dos direitos de voto de uma determinada empresa.

10. Cobertura cambial

Historicamente, não fazemos cobertura cambial para a estratégia Franklin US Opportunities, nem prevemos que o façamos no futuro, embora tenhamos margem para o fazer pelo prospeto.

11. Uso de derivados

A estratégia Franklin US Opportunities não utiliza normalmente derivados de forma significativa. Como gestor bottom-up com uma ênfase em seleção de ações bottom-up, dedicamos todos os nossos recursos à análise extensa e fundamental de ações.

Notícias relacionadas

O Mais Lido