Fotografia de resultados dos fundos de pensões abertos nacionais


Tal como já se tinha verificado nos planos de poupança para a reforma (PPR), também nos fundos de pensões nacionais, listados pela APFIPP, e com dados referentes a 29 de maio, as rentabilidades a prazos mais curtos refletem assim as descidas protagonizadas por determinadas classes de ativos. No entanto, quando falamos de veículos de investimento como estes está implícito um horizonte temporal de investimento de longo prazo. Com os olhos postos na reforma dos investidores, os gestores de fundos de pensões poderão encontrar numa situação de mercado como a atual uma oportunidade de capturar prémios de retorno interessantes em ativos de rendimento fixo que se encontravam desprovidos de qualquer yield há tão pouco tempo como em janeiro passado. 

O cuidado, disciplina e profissionalismos das equipas gestoras é ainda mais relevante nesta conjuntura. A FundsPeople divulgou recentemente exatamente como os gestores encontraram soluções de minimização de perdas e que mecanismos foram utilizados na gestão destes produtos que se esperam desenhados e geridos para assegurar um retorno de médio/longo prazo. 

No artigo referido era citado, entre outros, José Bonito da BPI Vida e Pensões que comentava que “por mais desafiante que pareça o momento, um investidor com paciência, racionalidade e tranquilidade prosperará com a eventual recuperação da atividade económica e dos preços dos ativos”.

Também esta tipologia de produto, tal como os fundos poupança reforma, é classificada pela APFIPP em sete níveis de risco (medido em desvio padrão), classificação essa que progride na sua escala quando olhamos para os prazos mais recentes de análise. Algo não muito surpreendente já que a volatilidade dos mercados sentida principalmente em março, acabou por se refletir na performance destes fundos. Classificados e divididos consoante um indicador sintético de risco e remuneração, que se obtém com o cálculo da volatilidade dos últimos cinco anos e reflete a política de investimentos de cada fundo mostramos abaixo os diferentes indicadores de retorno e risco dos fundos de pensões abertos nacionais. 

(Clique nas imagens para ampliar)
 
AAAAAAAA
AAAAAAA_2

Abaixo, mostramos os fundos da BPI Vida e Pensões que, em virtude de as rentabilidades serem apresentadas brutas de comissão de gestão, não são diretamente comparáveis com os restantes. 

AAAAAAA3
Fonte: APFIPP, 29 de maio 
 
Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido