Tags: Negócio |

Financiamento para além dos bancos: um novo mundo por descobrir


TRIBUNA de Ignacio Díez Torca, sócio fundador do Trea Direct Lending, da Trea Asset Management. Comentário patrocinado pela Trea Asset Management.

A necessidade de crédito é um dos grandes desafios que a maioria das pequenas e médias empresas enfrentam. Em muitos casos, falamos de empresas rentáveis e com um plano futuro, mas que não encontram o apoio económico adequado às suas necessidades e que lhes permita crescer e suportar o seu desenvolvimento em território nacional e além-fronteiras.

Neste contexto, surgiram alternativas que funcionam, como os fundos de Direct Lending, ou seja, de empréstimos diretos, uma solução de financiamento diferente para as PME que apostam no seu crescimento e que procuram um retorno do seu investimento.

Com este objetivo, criou-se o fundo Trea Direct Lending (TDL) em 2017, um fundo com uma duração de três ou quatro anos gerido pela Trea Asset Management, gestora de ativos independente com mais de 4600 milhões de euros em ativos geridos através de diferentes estratégias de investimento. O objetivo do TDL é ser o parceiro de referência das PME espanholas e portuguesas, disponibilizando soluções de financiamento que se adequem ao seu crescimento, à sua estabilização ou à sua restruturação.

Esta unidade de negócio da Trea AM concentra-se em investir em empresas com negócios solventes e estáveis através de dívida sénior Secured Sponsorless, um tipo de dívida emitida por um agente económico da melhor qualidade de crédito possível. Esta dívida dá preferência ao titular (ordem de prioridade) no momento da cobrança em caso de insolvência do emissor. Além disso, oferece uma rentabilidade líquida esperada de 6,25%, com um período de investimento médio de cinco a sete anos.

Estes investimentos contam com uma garantia de cerca de 30% do Fundo Europeu de Investimento (FEI), com um volume que oscila entre os 5 e os 25 milhões de euros.

O primeiro fundo, o Trea Direct Lending 1 (TDL 1), encerrou 2018 com um património de 70 milhões de euros que serviu de veículo de financiamento a 7 projetos empresariais; o segundo fundo, o Trea Direct Lending 2 (TDL 2), teve em fevereiro de 2019 um primeiro fecho de 70 milhões, conseguindo ser o primeiro fundo de direct lending em Espanha a contar com um investidor institucional estrangeiro, o que vem reforçar a imagem do mercado espanhol. O Trea Direct Lending realizou transações em vários setores económicos: vinicultura, logística, combate a incêndios, hotelaria, telecomunicações, luxo, dermatologia, entre outros.

Todas estas razões garantiram ao Trea Direct Lending o prémio de melhor fundo de dívida europeu para o financiamento de PME (European SME Lender of the year 2018) concedido pela prestigiada publicação Private Debt Investor, com o voto de investidores europeus. Este prémio reconhece a capacidade do TDL de originar e executar operações em PME espanholas para financiar o seu crescimento orgânico e inorgânico, a sua estratégia de investimento diferenciada, o seu track record bem-sucedido e o desenvolvimento de uma base sólida de investidores nacionais e internacionais, incluindo investidores institucionais, fundos de pensões, seguradoras, Family Offices e instituições financeiras.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas