Tags: Obrigações | Ações |

"Existem gestores com talento em Portugal"


Há quantos anos oferece a Morningstar serviços em Portugal?

A Morningstar é uma empresa americana que nasceu em 1984. A filial ibérica começou a operar em Espanha em 2001 e em Portugal em 2003.

Qual é o balanço destes anos?

Desde o início de 2003, o crescimento dos serviços e a base instalada foi muito boa e, sobretudo, muito estável. Por sorte, os nossos clientes têm sido muito fiéis.

No presente representa 20% da facturação da região comercial composta por Espanha, Portugal e Andorra. Esperamos continuar  a crescer no futuro, em especial devido:

1)      A grandes oportunidades que vemos em áreas não tão clássicas do nosso negócio, como são as soluções de tempo real, que consideramos uma mais-valia para os nossos clientes nos seus objectivos de redução de custos com soluções que mantenham o aumento dos níveis de serviço prestados no presente.

2)      Soluções insígnia no negócio clássico de Morningstar que servem de referência a nível mundial, como as nossas soluções chave na mão (‘integrated web tools’) em entidades líderes em Portugal no segmento de distribuição de fundos.

De que forma se distribui o vosso negócio em Portugal, por que ramos de actividade?

Portugal é um país que mostra excepcionalmente a evolução da Morningstar assim como a evolução das necessidades do mercado e dos nossos clientes. 

A Morningstar cresceu, durante os últimos 5 anos, como consequência da aquisição de diversas empresas muito bem posicionadas nos seus respectivos nichos. Alguns exemplos dessas aquisições são: Old Broad Street Research Ltd., (provedor importante de análise de fundos sedeado em Londres e de consultoria de investimentos), Logical  Information Machines, Inc.  (empresa que oferece soluções de ‘market data’ e produtos de análise de energia e matérias-primas, gestão de informação, ‘trading’, e gestão de risco neste tipo de mercados) o Tenfore Systems Limited (provedor global de dados em tempo real y ferramentas de dados financeiros). 

Curiosamente Portugal é um dos países onde existe uma distribuição 50/50 entre o negócio clássico da Morningstar e gama de serviços proveniente destas últimas aquisições. Deste modo, além de ter serviços nas áreas tradicionais (geralmente fundos), também temos novos produtos e soluções de dados de mercado, o ‘feeds’ de tempo real, que estão excepcionalmente estabelecidos no país graças às consolidadas relações de colaboração com empresas locais de ‘software’. Na actualidade, nove das maiores entidades portuguesas e ‘brokers’ são clientes da Morningstar neste tipo de soluções.No que refere ao negócio clássico da empresa, este está distribuído de uma maneira bastante equilibrada entre entidades distribuidoras de fundos com soluções ‘online’ e chave na mão, assim como ‘feeds’ e casas gestoras que utilizam o Morningstar Direct, o nosso software institucional de análise e selecção de fundos, acções e outros veículos de investimento. Por outro lado as entidades gestoras têm o grande objectivo de aumentar os activos sob gestão, e as entidades hão-de distinguir-se dos seus concorrentes proporcionando razões, argumentos de peso e convincentes que façam com que o investidor seleccione os seus fundos e não outros. Isto pode ser facilmente posto em prática destacando os pontos fortes da entidade e possibilitando ao investir a análise adequada.Um dos principais valores que movem a Morningstar são os investidores finais. ‘Investor first’, desta maneira a análise da Morningstar tem como principal objectivo a independência e alta qualidade. Uma análise em profundidade realizado para ajudar o investidor e os seus assessores a tomarem as melhores decisões.

A Morningstar  é pioneira em estatísticas para a análise de investimentos, e entre essas destaco os ‘ratings’. Permitem ao investidor ter uma rápida visão se um investimento é superior a outro, tendo em consideração o risco e a rendibilidade. O uso desta estatística reconhecida mundialmente pelos investidores e assessores permite às entidades realçar a sua mensagem de marketing. Deste modo, entre outras vantagens destaca-se a revitalização das vendas e as iniciativas de marketing em simultâneo com o fornecimento de informação de investimento consistente e independente.

As nossas licenças Essentials, que permitem o uso do conteúdo proprietários em actividades de marketing, constituem uma proposta modelo de negócio no qual ambas as entidades beneficiam, de modo que a nossa presença e reconhecimento global, permite à gestora abrir à comercialização dos seus fundos naqueles países onde o nome da Morningstar é reconhecido, e o nosso selo de independência auxilia a proporcionar essa objectividade cada vez mais exigida no mercado.

Finalmente a Morningstar é uma empresa que cuida e dá muitíssima atenção ao desenho colaborando com os objectivos de numerosos departamentos de marketing na hora de providenciar informação comercial e apresentações mais atractivas.

Com quantas entidades portuguesas têm acordos?

A maior parte dos grandes ‘players’ do sistema financeiro português são clientes de alguma das soluções da Morningstar. A nossa política é não citar nomes individuais.

Vão realizar análises qualitativas dos fundos locais portugueses?

A nossa análise qualitativa de fundos permite identificar aqueles fundos que consideramos que serão capazes de superar os seus concorrentes num contexto de um determinado nível de risco, a longo prazo.

Vai ajudar os investidores e selectores de fundos a entender se o fundo é adequado para um objectivo concreto assim como proporcionar-lhes claras expectativas de comportamento do mesmo nos diferentes contextos de mercado.

Monitoriza-se para ter em conta que todas as mudanças podem afectar a idoneidade e a opinião sobre o investimento. O analista avalia o fundo em função de 5 pilares: ‘people’, ‘parent’, ‘process’, ‘performance’, ‘price’ com carácter subjectivo, acrescentando uma opinião e após a reunião com os executivos chave das sociedades gestoras.

Diferente de outras casas de análise, a nossa empresa não cobra nada às entidades gestoras por esta análise. Mantendo, desta forma, a nossa ética de que o investidor é a nossa primeira prioridade, os nossos analistas centram-se em ajudá-lo, assim como ao assessor a tomar as melhores decisões. As gestoras não pagam ao analista, de modo que a nossa cobertura se baseia na discrição do analista e o interesse do investidor é determinante.

Neste caso,  como directora comercial tenho uma muralha da China com a equipa de análise de modo que não posso influenciar o critério do analista em nenhum momento do processo, nem na hora de atribuição do ‘rating’ ou que produtos são escolhidos para análise. Sei que já foram feiras análises de alguns fundos de gestoras portuguesas registados no Luxemburgo.

Quais os aspectos que destaca dos profissionais de gestão portugueses?

Em geral, é um mercado onde os fundos de investimento não têm um volume muito elevado e as equipas de gestão não costumam ser tão numerosas como as das gestoras britânicas ou americanas. Não obstante, a nossa equipa de analistas comenta que há gestores em Portugal com talento e que se fazem bem as coisas deverá existir um reflexo disso no crescimento da indústria e da sua relevância no contexto europeu. 

Em que segmento do mercado (‘brokers online’, gestoras de fundos, institucionais) vêem mais oportunidades de crescimento?

Com o objectivo de dar melhor serviço e contar com gente especializada no ‘workflow’ e necessidades dos nossos clientes estruturamos as nossas soluções assim como as nossas equipas comerciais e especialistas de produto, com base em diversos segmentos de mercado: nuestros  equipos comerciales y especialistas de productos,  en base a distintos segmentos de mercado: ‘asset managers’ (‘fund companies’, ‘hedge funds’,..),  distribuidores (‘brokers’, ‘captive’, ‘non captive’,…) ‘retirement’, ‘redistributors’ (‘media’..) e investidores institucionais (‘family offices’, ‘pensions’,..etc).No que refere aos segmentos onde vemos maiores oportunidades de crescimento destacaria duas áreas muito diferenciadas.A primeira desde a perspectiva de mercado e a segunda desde a perspectiva da Morningstar.

1)      Desde a perspectiva de mercado:

A crise causou danos no sector e procuram-se novos modelos em contraposição aos tradicionais. Da mesma maneira que o mercado está a evoluir e requer uma recuperação da confiança dos clientes que passa pela renovação da banca privada e assessoria independente, a Morningstar alinha-se com essa renovação e é precisamente nesta área que se enquadra dentro das competências tradicionais que tem e onde vemos maior crescimento e evolução, tanto no sector financeiro, como para a nossa própria empresa.

2)      Desde a perspectiva da Morningstar:

A explosão da quantidade de dados do mercado gerada por todas as fontes de informação criou dificuldades para as entidades não especializadas em matéria de gestão efectiva e eficiente de dita informação. Ao mesmo tempo as entidades financeiras procuram, cada vez mais, dados  de uma forma precisa, pontual e com flexibilidade na hora de entrega aos clientes. Estas são características das bases de dados  da Morningstar que ajudam a evitar riscos operacionais e contam com soluções eficientes ao nível económico. Ditas soluções passam pela entrega personalizada de qualquer tipo de informação: desde um dado de final do dia, passando por ‘porfeeds’ (ou alimentadores de dados) de tempo real contínuo, como conteúdo proprietário da Morningstar, que acrescenta valor aos nossos clientes.Em suma, a Morningstar é uma empresa de dados e como tal esse é o nosso ‘core business’. As outras soluções, que oferecemos, baseiam-se na nossa matéria-prima que é a informação e os dados “crus” do mercado.

Em algum caso, Portugal serviu como porta de entrada para Brasil? Desde Espanha prestam serviço a Angola ou Brasil?

Estamos conscientes das boas relações de Portugal com Angola e Brasil fruto da união pelo idioma, história, e é uma dinâmica que não pára de crescer devido à situação económica actual e dos últimos anos. Assim a equipa de dados da Morningstar em Espanha cobre desde Madrid a criação e manutenção das bases de dados de Portugal e Brasil contando com elementos de diversas nacionalidades – portugueses, brasileiros, … com ‘skills’ tanto financeiros como linguísticos que vão permitir contar com bases de dados de qualidade seguindo rigorosos procedimentos de controlo, assim como processos Lean Six Sigma. No entanto na área comercial, devido à maior aproximação que requerem os procedimentos de venda consultiva, assim como o facto de a Morningstar ser uma empresa global com presença em mais de 33 países. O Brasil é um mercado com características muito específicas e, por isso, contamos com equipas de vendas locais.

 

Empresas

O Mais Lido