Eurogrupo confiante que Portugal voltará aos mercados em 2013


Num comunicado sobre Portugal emitido no final da renião, em Nicósia (Chipre), os ministros das Finanças da Zona Europa manifestaram o agrado pelo evolução do ajustamento económico, referindo que o país “continua a preparar o regresso ao financiamento no mercado durante 2013, como previsto no programa”.

Encorajam as autoridades a continuarem com “a boa implementação da condicionalidade política”, que contribui “para reconquistar a completa confiança dos mercados”; algo que “já começou a reflectir-se na gradual, mas regular descida nas ‘yields’ das obrigações soberanas desde o início de 2012. Estamos confiantes que Portugal será bem sucedido em ter novamente acesso aos mercados em 2013”, salientam.

Quanto ao programa de ajustamento referem que “está a acontecer mais rápido que o esperado, através de um rebalanceamento da economia”, passando de uma “procura predominantemente doméstica para um modelo de crescimento liderado pelas exportações”; ao mesmo tempo, “a competitividade está a melhorar e os desequilíbrios externos estão a reduzir-se”.

Sobre o valor atribuído a Portugal, o Eurogrupo diz concordar com a avaliação da Troika e das autoridades “que o envelope de 78 mil milhões do programa de financiamento permanece adequado” e que é esperado que haja uma decisão “sobre a próxima tranche e uma actualização do memorando de entendimento aquando da sua próxima reunião”, acrescenta o Eurogrupo no comunicado.