Tags: Negócio | Ações |

EUA e BPI GA na linha da frente da escalada de início de ano


Dois meses mais do que chegaram para que a redenção das perdas registadas no final de 2018 acontecesse. Em território nacional, os dez fundos mais rentáveis desde o início do ano (com referência a final de fevereiro,  segundo dados da Morningstar), mostram isso mesmo: esta seleção de produtos ultrapassa os 10% de retorno anualizado, e deixa antever algumas conclusões sobre “a forma” do mercado acionista neste início de 2019.

O ímpeto acionista dos EUA neste início de ano impulsionou claramente o mercado de fundos nacional, e são dois os fundos desse universo que se posicionam nas posições cimeiras de rentabilidade. Quase com 14% de retorno o Caixagest Acções EUA leva a melhor sobre os restantes peers. O fundo gerido pela Caixagest que olha para as grandes capitalizadas de estilo growth dos EUA distanciou-se, portanto, dos outros fundos, mais concretamente com 13,95% de retorno.

Embora não seja o “último” fundo de ações américa a figurar neste top, o BPI América D também deu nas vistas nos dois primeiros meses do ano. O fundo da BPI Gestão de Activos, versão não hedged, fechou os dois primeiros meses do ano com 12,73% de retorno, o que lhe valeu o segundo lugar deste ranking.

Muito embora nesta amostra de dez fundos também haja lugar para o universo Europa – com a presença do BPI Europa ou do Montepio Euro Financial Services – importa destacar dois nomes de dois produtos cujo universo de investimento é mais enfocado: o BPI Metais Preciosos, com 12,29%, e o BPI Reestruturações, com 12,20%

E como os próprios nomes já citados também indicam, estes dois meses foram de hegemonia para a BPI GA. Neste ranking de dez fundos mais rentáveis, a gestora coloca cinco produtos da sua gama. 

Fundos mais rentáveis desde o início do ano 

Captura_de_ecra__2019-03-18__a_s_17

Fonte: Morningstar Direct, ao fecho fevereiro 
Empresas

Notícias relacionadas