Tags: ETF |

ETFs sobre obrigações e sobre o ouro: os hits de agosto


Captura_de_ecra__2016-09-13__a_s_15No ActivoBank, a tendência de agosto nos ETFs mais negociados aconteceu em consonância com outros meses, já que os ETFs com maior volume negociado voltaram a ser os que têm maior grau de alavancagem. “O mês de agosto não fugiu à regra, com os ETFs que alavancam três vezes a serem predominantes nos 10 ETFs mais negociados”, começa por dizer Rui Olo, responsável para os investimentos na direção de Marketing da entidade. Tal como já tinha acontecido nos fundos de investimento, o profissional também enfatiza que ao nível dos ETFs “os mercados emergentes e o ouro encontram-se entre as classes de ativos mais procurada”, embora, por causa da alavancagem, a lógica nestes produtos seja “de muito curto prazo, por vezes intraday (aliás, o facto dos ETFs alavancados replicarem a performance diária de forma alavancada do subjacente, e não a performance do subjacente ao longo do tempo sugere precisamente que este tipo de ETFs seja negociado intraday)”. Dentro dos sectores mais procurados nestes produtos o profissional destaca “as Small Caps, Real Estate, Tecnologia e a Energia”. Outra das características enfatizadas pelo profissional é ainda o facto de “no top 10 dos ETFs mais negociados, todos eles serem long, ou seja, beneficiam com a subida do ativo subjacente, o que é condizente com a evolução dos mercados acionistas durante o mês”.

Captura_de_ecra__2016-09-13__a_s_15No Banco Best, por seu turno, Carlos Almeida, diretor de investimentos da entidade, refere que “no mês de agosto o domínio do TOP de ETF continuou a ser dos ETF sobre obrigações, sendo que o objetivo de investimento passou para prazos mais curtos do que nos dois últimos meses em que o ETF na liderança foi o ETF iShares Euro Government Bond 15-30yr”.  A par disso, “também a tendência geográfica” se alterou “de obrigações governamentais europeias para americanas”. Segundo Carlos Almeida, em agosto, “os dois ETF mais negociados foram os ETF de Treasury Bonds entre 7 e 10 anos e entre 1 e 3 anos, respetivamente, que representam o investimento em obrigações do tesouro americano, nomeadamente para os prazos entre 7 e 10 anos e 1 a 3 anos, ou seja, cujo tempo de vida remanescente da emissão até que se tornem devidos para reembolso seja dentro dos prazos de cada um deles". “O iShares EURO STOXX 50 UCITS ETF (Dist), que tem sido líder na maior parte do ano, foi o terceiro ETF mais negociado, ou seja, continuando a ser a alternativa preferida para investimento nas 50 maiores empresas da zona euro e ainda com a componente de distribuição de rendimentos”. No quarto posto destaque para “o MSCI World que para além de também ter a componente de distribuição oferece ainda a possibilidade de investimento direto numa grande diversidade de empresas dos países mais desenvolvidos do mundo”. Em último lugar o profissional fala “do iShares Core Euro Corporate Bond UCITS ETF EUR que tenta acompanhar a performance de um índice de obrigações “Investment Grade” denominadas em euros”.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas