Tags: ETF |

ETF de commodities entre os mais negociados em março


O mês de março trouxe algumas mudanças no que diz respeito aos ETF mais negociados por parte dos clientes do ActivoBank e do Banco Best. Isto porque, embora os ETF sobre índices acionistas se mantenham em destaque, a lista apresenta uma maior diversificação no que diz respeito aos ativos subjacentes.

Do lado dos clientes do ActivoBank, contudo, não parecem existir grandes variações. De acordo com Rui Olo, responsável na direção de marketing pelos produtos e investimentos, os clientes da entidade “continuam a preferir os fundos de investimento de gestão ativa para investimentos de médio/longo pazo”, sendo que “os ativos subjacentes aos ETF mais negociados continuam a ser os habituais”. Assim, os destaques voltaram a ser o sector tecnológico, mercados emergentes, China e Alemanha.

Quanto aos clientes do Banco Best, Rui Castro Pacheco, diretor adjunto de investimentos, destaca, precisamente, a diversificação registada no mês de março. Isto porque se verificou a presença de “um ETF a seguir o mercado de dívida – o iShares Core € Corporate Bond” e de dois ETF sobre commodities. Relativamente a estes últimos, o profissional revela que os clientes “procuraram acompanhar o desenvolvimento dos preços do petróleo, com o United States Oil Fund, LP, e do níquel, com o ETFS Nickel ETC EUR”.

Por fim, no panorama dos ETF sobre índices de ações, verificou-se a presença de dois sobre índices temáticos: o Global X Robotics & Artificial Intelligence ETF, “que procura seguir as empresas que apostam na robótica e na inteligência artificial”, e o SPDR® S&P Oil & Gas Exploration & Production ETF, “que segue as empresas americanas presentes no sector do petróleo e gás natural”, explica Rui Castro Pacheco.

Já no que respeita a índices regionais, o diretor adjunto de investimentos do Banco Best refere que, “para além do genérico iShares MSCI World, se verificou a procura por Japão, China, Mercados Emergentes e Europa, respetivamente com os ETF iShares MSCI Japan, iShares China Large Cap, iShares MSCI Emerging Markets e iShares Euro Stoxx 50”.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Os ETF também morrem

Nos últimos 15 anos as gestoras retiraram do mercado 800 fundos cotados. Os provedores costumam dar ao produto um prazo de três anos para superar os 100 milhões. Se não o conseguirem, o mais provável é que acabem por ser liquidados.

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido