Tags: Negócio |

Esta semana vou estar de olho... no Brasil


(O 'Esta semana vou estar de olho em...' é da autoria de Luís Mateus, Head of fixed Income da Golden Wealth Management)

Esta semana vou estar de olho no Brasil e nas audiências públicas do Ministro da Economia, Paulo Guedes, na Câmara dos Deputados e no Senado para esclarecer alguns pontos relativos à Reforma da Previdência, assim como na escolha da Comissão de Justiça e Cidadania do Senado Federal do Brasil de um Relator da Reforma.

É absolutamente fundamental para a solvência futura do país, que Bolsonaro e Paulo Guedes consigam levar a cabo uma reforma do sistema de segurança social brasileiro. As despesas crescentes com as pensões têm vindo a aumentar e são neste momento um dos principais contribuidores para o aumento da dívida pública (total) do Brasil, que passou dos 62,3% do PIB em 2014 para os atuais 88,4%.

A recuperação do Brasil depende em muito do regresso do investimento privado, mais especificamente o investimento privado estrangeiro, que neste momento aguarda com grande expetativa o desenlace da capacidade reformista deste governo.

A reforma do sistema de pensões exige validação constitucional que implica uma maioria favorável de 3/5 no Congresso. Governos anteriores já tentaram, mas falharam, em parte devido ao elevado peso histórico dos representantes dos funcionários públicos no Congresso (os que mais beneficiam com o sistema de pensões atual).

O anterior presidente Michel Temer tentou (e reuniu mesmo alguns apoios importantes) aprovar no Congresso os primeiros passos para uma Reforma, mas na véspera da votação (em 17 de maio de 2018), surgiram uma série de acusações de subornos e atos de corrupção sobre ele, acabando por matar o processo reformista. As hipóteses de reeleição de Temer esfumaram-se nesse mesmo dia (e culminaram com a detenção do ex-presidente durante a semana passada) e o BRL afundou-se 9%, naquele que foi o maior movimento intradiário dos últimos 14 anos.

Numa altura em que as taxas de juro das principais moedas estão em tendência descendente e que o USD se mantém lateral, vamos ter uma nova oportunidade de entrada no Real Brasileiro?

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas