Tags: Gestores | EUA |

Equipa de gestão de obrigações da J.P. Morgan AM supera ‘benchmark’ em 39 de 40 trimestres analisados


Num recente pequeno-almoço, em Lisboa, a J.P. Morgan AM apresentou a equipa de gestão de obrigações norte-americanas que desenvolve o seu trabalho desde Columbus, nos EUA, tendo atingindo resultados consistentes ao longo do tempo fruto de uma visão e processo de investimento adequado que permitiu uma ‘outperformance’ relativamente ao ‘benchmark’ Barclays Capital Aggregate em 39 de 40 trimestres analisados (período entre 31/12/02 e 31/12/12).

A selecção de activos, de acordo com a gestora de produto Nikole Miller, é disciplinada, preferindo obrigações com alta qualidade creditícia para os fundos geridos, nos quais a duração tende a ser mais ou menos 10% (dependendo do tipo de fundo) do que a do ‘benchmark’. Além disso a estrutura da abordagem desenvolvida na construção das carteiras é de maximização da convexidade, diversificação dentro do universo da classe de investimento, localização na parte intermédia da curva e orientação para o rendimento. “Posicionamo-nos de forma a manter uma qualidade

Esta equipa não coloca de parte o risco de subida das taxas de juro e, nesse sentido, “faz uma escolha rigorosa de obrigações, dando preferência a instrumentos de qualidade de forma a reduzir eventuais perdas”, explica Miller. Ainda na lógica de protecção do risco taxa de juro, esta equipa de gestão reduziu a exposição a ‘treasuries’, faz uma alocação de cerca de 15% em obrigações de taxa variável, sobrepondera produtos com ‘spread’ e subpondera a parte longa da curva. Isto além do alargamento das maturidades e do foco em obrigações ‘premium’.

A equipa de gestão de obrigações de Columbus, como é internamente conhecida, tem actualmente 222 mil milhões de dólares sob gestão, oferecendo estratégias personalizadas e de acordo com os objectivos dos investidores, dentro de um universo diversificado do mercado de obrigações.

Os fundos em destaque foram o US High Yield Plus Bond Fund (para clientes institucionais), o US Aggregate Bond Fund e o US Short Duration Bond Fund (em análise na próxima semana em fundspeople.pt).

Empresas

Notícias relacionadas