Tags: Negócio | Europa |

Entradas de dinheiro em fundos europeus é uma opção clara dos investidores


A procura por rendibilidade (‘yield’) continua presente entre os investidores de fundos europeus. Os fundos abertos a longo prazo (excluindo fundos de fundos e fundos ‘feeder’) registaram um recorde de subscrições, com 115,2 mil milhões de euros durante o primeiro trimestre do ano, de acordo com o último relatório sobre fluxo de fundos europeus da Morningstar. Os fundos do mercado monetário apresentaram resgates no período, o que mostra que os investidores de fundos mantêm a tendência do início do ano, procurando alternativas de rendibilidade, optando por activos mais arriscados, em detrimento da segurança e num cenário macro ainda instável com a crise da Zona Euro a persistir.

“Todavia não há indícios de uma “grande rotação” com saídas de dinheiro de fundos de obrigações. As entradas positivas de dinheiro em fundos de acções diminuíram pelo terceiro mês consecutivo, mas os fluxos positivos em obrigações foram superiores aos do mês anterior. Embora o apetite dos investidores por fundos de acções permaneça reduzido, os investidores continuam a aumentar as suas posições em activos de risco. A preferência por obrigações em detrimento das acções também se reflecte na substancial entrada de fluxos em fundos mistos durante o mês de Março”, comentou Javier Saenz De Cenzano, director de análise de fundos na Morningstar Espanha.

Assim, entre as principais conclusões do último relatório Morningstar sobre fluxos de activos europeus está o enorme volume de entradas em fundos de obrigações (15,1 mil milhões de euros em Março), o que mostra que o foco de atenções dos investidores se mantém nesta classe de activos. Os fundos mistos registaram entradas de 8,8 mil milhões de euros enquanto os fundos de acções tiveram uma captação líquida de 4,2 mil milhões de euros.

Os fundos que investem numa gama diversificada de obrigações denominadas em euros e dólar norte-americano, em conjunto com fundos de acções Reino Unido Capitalização Grande, estilo misto foram os mais resgatados durante o terceiro mês de 2013. Por outro lado, o fundo Templeton Global Total Return liderou a lista de fundos com mais subscrições na Europa, tanto no mês de Março como no primeiro trimestre do ano. Neste sentido, a Franklin Templeton ultrapassa a PIMCO como gestora líder de captações, graças às subscrições em fundos de obrigações globais.

Anexos

Empresas

Notícias relacionadas