Entidade a entidade: as captações do primeiro trimestre e do mês de março


O comportamento dos investidores perante o crescimento da incerteza é frequentemente de pouca calma. É fácil sucumbir aos medos e entrar em modo risk-off quando os cenários mais terríveis e frequentemente mais improváveis começam a surgir nos títulos dos artigos de opinião e nos meios de comunicação em geral. No entanto, manter a calma tem provado historicamente dar os seus frutos e uma gestão adequada e profissional do risco neste contexto faz muito sentido. Pelo que indicam os movimentos nos ativos sob gestão dos fundos geridos por entidades portuguesas, alguns investidores terão mantido a calma, mas outros optaram por converter os investimentos em dinheiro e simplesmente sair do mercado.

A verdade é que só no mês de março (considerando os fundos com dados disponíveis na Morningstar direct) foram 619 milhões de euros que foram resgatados dos fundos de investimento, um número que contras com os 95 milhões de euros da soma dos primeiros meses do ano. Em termos de categorias, divulgámos noutro artigo que no agregado do ano foram os fundos do mercado monetário que sofreram os resgates mais representativosmas que no mês de março foram os fundos de alocação e de obrigações que perderam maior volume de investimento (acima dos 250 milhões de euros, cada categoria). De relevar, no entanto, que o montante resgatado em março representa apenas 4.4% dos 13,82 mil milhões de euros que as entidades gestoras detinham em AuM no Luxemburgo e em Portugal no final de 2019, e o montante resgatado, em termos líquidos, durante todo o primeiro trimestre não vai além dos 0,7%.

No que se refere às entidades gestoras portuguesas poucas foram aquelas que conseguiram escapar às subscrições líquidas negativas durantes o mês de março. A gestão de ativos do Haitong e a Sixty Degrees mostram leituras positivas, mas são também players mais pequenos no contexto nacional. No trimestre, a Bankinter Gestão de Ativos e a Invest Gestão de Ativos foram aquelas que melhor se posicionaram, em termos relativos, com captações na ordem dos 20 milhões de euros e 8,7 milhões de euros. Olhando para as entidades maiores, vemos que aquelas cujas captações do primeiro trimestre em percentagem dos ativos de final do ano se destacam, são a IMGA, com um captações que representam 3.5% dos ativos de final do ano, e a BPI Gestão de Ativos, apenas nos fundos domésticos, com 0.7%

 

Entidade Gestora AuM Dezembro 2019 (Euros) AuM Março 2020 (Euros) Variação Percentual AuM Captações Líquidas Março 2020 (Euros) Captações líquidas Yeart To Date (Euros) Captações YTD em % do Património Inicial
Atrium Investimentos (LUX)           231,859,531           184,745,478 -20.3%           (12,080,737)           (15,382,781) -6.6%
Bankinter Gestão de Ativos           132,944,051           135,560,582 2.0%              (3,904,575)              20,087,245 15.1%
BPI GA (Caixabank AM) (LUX)           566,457,875           508,115,231 -10.3%              (6,923,384)           (16,617,787) -2.9%
BPI Gestão de Activos        2,608,546,213        2,395,060,639 -8.2%           (59,496,161)              17,472,134 0.7%
Caixa Gestão de Ativos        4,084,748,938        3,594,737,796 -12.0%         (229,566,982)         (124,487,804) -3.0%
Dunas Capital              44,829,303              37,284,056 -16.8%              (2,152,492)              (3,203,096) -7.1%
Dunas Capital (LUX)              31,116,994              24,353,218 -21.7%              (1,881,614)              (1,970,439) -6.3%
EuroBic (Nevastar Finance) (LUX)              22,496,977              20,549,384 -8.7%                 (618,893)                 (432,497) -1.9%
GNB GA (LUX)           310,299,562           268,693,819 -13.4%           (20,734,876)           (18,071,347) -5.8%
GNB Gestão de Ativos           573,284,451           502,837,172 -12.3%           (30,293,458)           (10,715,234) -1.9%
Haitong Bank (LUX)              22,601,394              18,628,023 -17.6%                    221,177                    360,187 1.6%
IMGA        2,377,109,299        2,260,198,513 -4.9%         (122,896,051)              82,513,919 3.5%
Invest Gestão de Activos              82,948,741              78,669,005 -5.2%              (1,656,071)                8,685,078 10.5%
Montepio Gestão de Activos           179,218,011           156,675,390 -12.6%           (11,314,813)              (4,831,432) -2.7%
Optimize Investment Partners           135,922,441           123,005,290 -9.5%              (4,311,131)                2,145,734 1.6%
Popular GA (Santander AM)              98,938,151              77,070,992 -22.1%              (5,440,000)           (12,884,602) -13.0%
Santander Asset Management        2,321,456,118        2,097,621,888 -9.6%         (105,870,392)           (19,480,611) -0.8%
Sixty Degrees                3,259,730                4,780,020 46.6%                      95,559                1,573,367 48.3%
Total     13,828,037,780     12,488,586,495 -9.7%         (618,824,896)           (95,239,967) -0.7%
Fonte: Morningstar Direct. Fundos com dados disponíveis a 16 de abril de 2020 e com referência ao final de março de 2020  
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido