Tags: Negócio |

Enfoque monetário em realce nos dois primeiros meses do ano


A pujança acionista de início de ano parece não ser comparável com as áreas de fixed income e mercado monetário, pelo menos quando se olha para as captações conseguidas por este universo de produtos no período. Apenas meia dúzia de fundos de obrigações e de mercado monetário conseguiram captações líquidas positivas nos primeiros dois meses de 2019, contrastando assim com os 14 fundos do espectro de equity em terreno positivo.​

Enfoque em ativos monetários

Para além do já referido, os dados da Morningstar referentes ao final de fevereiro mostram também que o fundo que deu nas vistas nas duas categorias foi um fundo de mercado monetário - o único deste universo com captações positivas. Habituado a constar das listas de mais subscritos, o NB Monetário assistiu nos dois primeiros meses do ano a entradas líquidas superiores a 15 milhões de euros. O fundo gerido por Susana Vicente, da GNB GA, foi mesmo o único produto com captações líquidas, neste universo, superiores a 10 milhões de euros.
Embora a categoria global do segundo fundo que mais captou seja ‘fixed income’, assim categorizado pela Morningstar, o BPI Liquidez trata-se também de um fundo que se enfoca em ativos de mercado monetário. O produto a cargo da BPI GA conseguiu entradas líquidas de 4,2  milhões de euros.

As obrigações europa ganharam espaço na restante lista, com o NB Obrigações Europa (fundo com selo Blockbuster Funds People), o Caixagest Obrigações  LP , e o Optimize Europa Obrigações, a receberem, respetivamente, 3,5 milhões de euros, 1,3 milhões de euros e 894 mil euros de captações líquidas. Destaque ainda para o terceiro fundo da gama GNB neste ranking, com um saldo líquido nos dois meses de 539,9 mil euros, o NB Rendimento Plus.

Captura_de_ecra__2019-04-11__a_s_15

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos