Tags: Europa |

EFAMA revela que 91% dos pedidos transfronteiriços em fundos são realizadas automaticamente


A associação de fundos europeia EFAMA, sigla em inglês, em colaboração com a SWIFT, publicou um novo relatório sobre a evolução das taxas de automatização e padronização dos pedidos de fundos recebidos nos centros de fundos transfronteiriços do Luxemburgo e da Irlanda durante o primeiro semestre de 2019. No inquérito em que participaram um total de 28 agências de valores da Irlanda e do Luxemburgo e dela podem ser extraídas duas grandes conclusões: continuam a aumentar as ordens transfronteiriças e continuam a aumentar os processos automatizados no momento de as concluir.

Em concreto, o volume total de pedidos de fundos transfronteiriços aumentou 6,3% até alcançar os 19,9 milhões de pedidos no primeiro semestre de 2019, face aos 18,7 milhões do segundo semestre de 2018, o que implica uma média mensal de 3,3 milhões, enquanto a taxa de automatização dos pedidos se manteve estável em 90,6% no primeiro semestre de 2019. O uso dos padrões de distribuição ISO aumentou 58% no quarto trimestre de 2018 para 62,3% no segundo trimestre de 2019, enquanto o uso de protocolos de transferência de arquivos (ftp) patenteados diminuiu 28,3% no segundo trimestre de 2019, em comparação com 32,4% no quarto trimestre de 2018. Essa tónica, vista a nível geral, nota-se também quando se analisam os dados de cada uma das duas praças analisadas: Irlanda e Luxemburgo.

“O elevado volume de pedidos de fundos transfronteiriços no primeiro semestre de 2019 confirma a forte presença dos OICVM e dos fundos de investimento alternativos (FIA) no mercado mundial de aforro. O progresso suportado na automatização dos processos empresariais também destaca a vitalidade dos gestores de fundos europeus e a sua determinação em manter os custos operacionais sob controlo para servir melhor os interesses dos aforradores”, afirma Tanguy van de Werve, diretor-geral da EFAMA.

Por sua vez, Janice E. Chapman, gestor de fundos de investimento e normas de SWIFT afirmou que “em linha com o aumento do volume de pedidos de fundos comunicados entre os agentes de transferências de Luxemburgo, Irlanda e a maior adoção da norma ISO 20022, vemos um aumento bem-vindo dos volumes de pedidos de fundos em SWIFT, o que confirma uma vez mais a tendência geral da automatização do negócio de fundos”.

No relatório, que pode ser consultado na web da EFAMA, também se desagrega a procedência dos pedidos transfronteiriços recebidos tanto no Luxemburgo como na Irlanda e esses dados são muito semelhantes aos que já se viam em 2018. Em concreto, na Irlanda a região EMEA representou 95% das operações, a APAC, 3% e a América 2% enquanto no Luxemburgo se viu uma maior diversificação já que os pedidos de EMEA representaram 71% face aos 26% das recebidas na região APAC e a 3% da América.

Notícias relacionadas

O Mais Lido