Tags: Negócio |

Economia europeia supera desempenho da norte-americana


O Dólar Americano continua sob pressão face às outras divisas dos países do G10, com a dívida soberana a continuar o recente movimento e a alimentar a subida do Euro. A moeda única Europeia beneficia de uma série de indicadores económicos da Zona Euro e de vários membros, que, de uma forma geral estão a ser encarados de uma forma positiva.

O PIB do agregado Europeu registou um ganho de 0.4% no quarto trimestre de 2014 e embora tenha ficado um pouco aquém das expectativas (os analistas apontavam para 0.5%) superou o desempenho da economia Americana, o que não acontecia desde o primeiro trimestre de 2011.

Nos Estados Unidos, as vendas a retalho decepcionaram e as previsões sobre a recuperação da maior economia do mundo começam a ser revistas em baixa e a possibilidade de uma subida de taxas parece mais longe do que inicialmente se podia prever.

No entanto, o mercado de trabalho Americano mostra-se forte, com os pedidos de subsídio de desemprego a descer para níveis próximos da bolha tecnológica de 2000, ajudando à ideia de que o recente movimento do Dólar - perdendo terreno todos os dias para o Euro - parece estar prestes a esgotar-se, com os 1.15 a servir de limite superior. Rumores cada vez mais fortes sobre a saída da Grécia do Euro ajudam a compor um cenário previsível de correção da cotação do Euro face ao Dólar.

O mercado bolsista Europeu segue a recuperar algum terreno, depois de sessões de descidas, com os investidores a monitorizar a crise da Grécia, a saúde da economia Americana e a fortaleza do Euro.

(Imagem: LendingMemo, Flickr, Creative Commons)