Tags: Obrigações | Ações |

Dos EUA à Península Ibérica: o alargado espectro de investimento dos mais rentáveis a 3 anos


Na análise dos fundos mais rentáveis do mercado nacional pouco há dizer que constitua grande novidade: o mercado acionista norte-americano continua a ser o grande impulsionador de retornos a vários prazos de análise, e os três últimos anos não constituem exceção a esse nível. Dados da Morningstar Direct de final de agosto demonstram isso mesmo. Da lista de produtos mais rentáveis constam quatro fundos focados no mercado acionista norte-americano, mas os fundos de carácter global, fortemente presentes na lista, também acabam por captar o bull market vivido no outro lado do Atlântico, país que atualmente se vê a braços com uma guerra comercial sem fim à vista com a China.

Captura_de_ecra__2019-09-11__a_s_15

Fonte: Morningstar Direct, agosto

 

Desta forma, e como visível na tabela acima, o Caixagest Acções EUA, da Caixagest, é o fundo com melhor desempenho no período, 14,26% de retorno anualizado, seguindo-lhe o fundo da BPI GA com o mesmo espetro de investimento: o BPI América D, fundo não hedged, que entrega 12,39% de retorno anualizado nos últimos 3 anos. Os dados online relativamente a estes dois produtos mostram algumas diferenças na sua abordagem. No caso do produto da Caixagest, o sector financeiro é o que ocupa a maior fatia da carteira – 20,14% - enquanto que o produto do BPI apresenta como sector mais preponderante o de consumo não cíclico – 29%. O espetro ações América fica representado por ainda mais dois fundos: o IMGA Acções América com 10,06% de retorno anualizado, e o BPI América E (versão hedged) com 9,15% de rentabilidade.

Bastante eclético, o universo de fundos mais rentáveis neste período abre portas a temas tão diversos como as infraestruturas, o Brasil e até mesmo as ações Ibéria e nacionais. Destaque, ainda, para a presença de dois fundos PPR na lista. 

Empresas