Tags: Estilo |

Dois gestores, dois livros


Pedro Ortigão Correia, ‘managing partner’ da ASK, diz estar a ler “uns cinco ao mesmo tempo”, mas destaca um que se tem dedicado, e que é a “Saga Brasileira”, de Miriam Leitão.

“É um relato absolutamente extraordinário da recente história monetária do Brasil, contado por uma das melhores jornalistas económicas daquele país, onde se aborda numa perspectiva macro e com histórias em nome próprio, o duro caminho daquele país até à estabilidade monetária”. Destaca nomeadamente o retrato do Brasil nos regimes Color de Mello e precedentes, “bem como  a trama política que os levou de erro em erro até um caminho de maior seriedade na gestão das contas públicas e balanço central”.

A sugestão de Pedro Mello e Castro, administrador da Banif Gestão de Activos, vai para um livro “excelente” do autor húngaro Sándor Márai “As velas ardem até ao fim”.

A história desenrola-se num “pequeno castelo de caça na Hungria, onde outrora se celebravam elegantes saraus e cujos salões decorados ao estilo francês se enchiam da música de Chopin, mudou radicalmente de aspecto. O esplendor de então já não existe, tudo anuncia o final de uma época. Dois homens, amigos inseparáveis na juventude, sentam-se a jantar depois de quarenta anos sem se verem. Um, passou muito tempo no Extremo Oriente, o outro, ao contrário, permaneceu na sua propriedade. Mas ambos viveram à espera deste momento, pois entre eles interpõe-se um segredo de uma força singular...”.