Tags: Obrigações |

Dois fundos nacionais de obrigações superam os dois dígitos de retorno em 2019


O comportamento positivo dos mercados financeiros durante o ano de 2019 catapultou os fundos de ações para o topo da tabela dos mais rentáveis. No entanto, uns níveis abaixo na escala do risco, os fundos de obrigações surgem com retornos bastante fortes e que facilmente competem com muitos dos fundos de ações nacionais. E de facto, o fundo que lidera o ranking dos fundos de obrigações mais rentáveis do ano apresenta um retorno atípico para uma classe de ativos que costuma navegar mais frequentemente no espaço dos retornos de um dígito. No entanto, é também um fundo que não é nada estranho na liderança destes rankings, gerido por Vasco Teles da GNB Gestão de Ativos: o NB Obrigações Europa. O fundo consegue nos primeiros oito meses do ano um retorno de 15,09% o que, associado a captações significativas ao longo do ano atirou este fundo Blockbuster Funds People para o território dos fundos com mais de 100 milhões de euros (132 milhões de euros, segundo os dados mais recentes).

Em segundo lugar, e com uma rentabilidade igualmente destacada, surge o IMGA Dívida pública Europeia. São 10,10% de retorno nos primeiros oito meses de 2019. A cargo de Aitor Zubeldia, da entidade gestora independente IMGA, o fundo privilegia o investimento em ativos de prazos superiores a 10 anos o que fez com que beneficiasse das descidas agressivas das yields em emissões de dívida pública europeia. No entanto, o gestor salienta outros fatores macroeconómicos como os mais relevantes para o futuro comportamento do fundo, nomeadamente "a evolução de alguns temas geopolíticos como “Trade War” e Brexit poderão impactar o crescimento económico global e consequentemente a performance da carteira. A evolução da situação política em Itália, continua a ser preponderante para a evolução dos spreads da periferia da Zona Euro", pode ler-se na mais recente ficha mensal do produto.

Em terceiro lugar da tabela, novamente um fundo de uma entidade gestora independente, a Optimize IP. O Optimize Europa Obrigações atingiu os 8,69% de retorno em 2019. Este fundo de obrigações corporativas e soberanas privilegia os ativos portugueses (23,3%), mas também os franceses (17,9%), italianos (12,3%) e espanhóis (11,7%). 

Captura_de_ecra__2019-09-11__a_s_17

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas