Tags: Negócio |

Distribuição, gestão discricionária e serviços de depositário - o Banco Invest em 2018


Dados divulgado no relatório e contas da Alves Ribeiro – Participações Financeiras - SGPS, S.A., acionista maioritário da Invest Gestão de Activos através do Banco Invest (do qual controla 99,68% do capital), o montante distribuído de fundos de investimento geridos por terceiros no banco registou em 2018 um crescimento de 42%, “apesar do aumento da volatilidade dos mercados financeiros e das fortes quedas observadas, em especial, no quarto trimestre do ano”, pode ler-se no documento. Deste montante distribuído a entidade dá conta que 51% correspondia a fundos de ações, 28% a fundos de alocação e 21% a fundos de obrigações.

Captura_de_ecra__2019-09-27__a_s_15

Segundo o Banco, durante o ano passado foi aumentada a oferta  de fundos multiativos “utilizando-os como uma ferramenta estratégica para a diversificação das carteiras dos clientes, com uma gestão ativa e profissional a custo baixo”. No final do ano, e como está patente no relatório, o total de fundos multiativos estratégicos ascendia a cerca de 12,5% do total de fundos de terceiros. Ainda neste âmbito, o banco comunica que continuou a desenvolver novas carteiras temáticas que representavam no final de 2018 cerca de 11,5% do total de fundos “espelhando a aceitação muito positiva por parte dos clientes relativamente ao investimento temático, deste que foi o primeiro ano completo desde a criação dos Trends”.

No campo da gestão discricionária e apesar do mau ano que 2018 representou para as respetivas carteiras, o banco dá nota dos resultados positivos relativamente a produtos e serviços concorrentes por via da rigorosa gestão de risco implementada que “permitiu conter as perdas dentro de cada um dos perfis de investimento”.

Entre os fundos geridos pela gestora do banco o fundo Invest AR PPR foi o que mais contribuiu para o crescimento de 22,8% (11,5 milhões de euros) dos ativos sob gestão em fundos mobiliários. O ano fechou com um montante em fundos mobiliários de 61,9 milhões de euros , e em fundos imobiliários de 16,6 milhões de euros.

Serviço de depositário

No contexto da prestação de serviços de banco depositário, no relatório e contas está patente que o Banco Invest “manteve uma posição de referência enquanto banco depositário para as sociedades gestoras independentes de fundos de investimento a atuar no mercado nacional”. No final do ano, este prestava serviços de banco depositário a 37 fundos de investimento de oito sociedades gestoras, com a predominância dos fundos imobiliários (51%) e de capital de risco (22%). Os fundos mobiliários representavam apenas 7% do total de fundos sob custódia, sendo que o maior crescimento verificou-se, segundo o banco, nos ativos das Sociedades de Investimento Imobiliário Autogeridas de Capital Fixo (SICAFI), com uma variação de 99% para os 169 milhões de euros. O relatório e contas do banco dá conta de um total de ativos de clientes institucionais sob custódia de 852 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2019-09-27__a_s_15

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido