Tags: Negócio |

Deutsche Bank vende operação em Portugal ao espanhol Abanca


É finalmente conhecido o comprador das operações do Deutsche Bank em Portugal. O banco espanhol Abanca foi o vencedor no processo formal de venda da unidade de banca de particulares do Deutsche Bank’s Private & Comercial Client Portugal, o que inclui a venda do negócio de retalho, banca comercial e banca privada em território nacional. Esta unidade começou a operar no mercado português em 1978 e tem como principal enfoque o segmento de clientes de banca privada com poder de compra médio-alto. Aposta no aconselhamento a clientes de banca pessoal e privada, com um modelo de negócio centrado na comercialização de produtos financeiros, que posicionaram a entidade na liderança do mercado português no que se refere à distribuição de fundos internacionais.

Segundo o comunicado do banco espanhol, o Deutsche Bank PCC Portugal conta com uma carteira de crédito bruta na ordem dos 2.400 milhões de euros, 1.000 milhões de euros em depósitos e 3.100 milhões de euros em ativos fora de balanço. O negócio inclui 41 escritórios comerciais distribuídos pelas principais cidades de Portugal, especialmente em Lisboa e Porto. Destas, quatro são centros de investimento e dois são escritórios de banca privada. Esta operação faz parte da uma estratégia internacional do Abanca, orientada para o crescimento em mercados e segmentos complementares ao projeto. Os 41 centros que passarão a fazer parte da rede do Abanca serão também um veículo para potenciar em Portugal o modelo de negócio, especialmente em empresas e seguros.

A operação de compra será finalizada no primeiro semestre de 2019, uma vez recebidas as autorizações e concluída a integração tecnológica.

Assinale-se ainda que o Deutsche Bank, segundo o comunicado da própria entidade, "vai manter presença em Portugal, através da sucursal Deutsche Bank Portugal, que desenvolverá atividade ao nível da banca corporativa e de investimento, incluindo Global Transaction Banking, prestando serviços bancários às empresas nacionais e estrangeiras, instituições financeiras, ao Estado e demais entidades públicas". 

Notícias relacionadas