Continente americano domina pódio dos fundos mais rentáveis a três anos


Os últimos três anos foram anos marcados por contextos bastante diferentes entre si. O ano de 2017 parecia revelar um ambiente económico “quase perfeito”, depois de um 2016 bastante conturbado, com a incerteza política decorrente de eleições e referendos a impactar os mercados de forma clara. 2018, por sua vez, parecia iniciar-se na mesma toada de 2017, mas eis que fevereiro trouxe o aumento da volatilidade nos mercados e, desde então, verifica-se um contexto cada vez mais incerto e difícil para os investidores, com vários momentos de tensão nos vários mercados mundiais.

E é a partir deste desenrolar de acontecimentos que analisamos a evolução das rentabilidades dos fundos nacionais nos últimos três anos. Que produtos se destacarão pela rentabilidade alcançada neste período? No que diz respeito a universos de investimento, o destaque vai para o continente americano, cujos mercados (brasileiro e norte-americano) impulsionaram as rentabilidades dos três produtos mais rentáveis deste período.

Assim, a liderar esta lista encontramos o BPI Brasil Valor, fundo de ações brasileiras que obteve uma rentabilidade anualizada de 18,49%. De acordo com a última carteira disponível, este apresentava uma exposição de 27,14% ao sector financeiro (o mais preponderante em carteira) e de 18,53% ao sector de materiais básicos. Como principais títulos apresenta, por sua vez, nomes como Vale, Petrobras, Rumo, Banco Bradesco e Itausa Investimentos.

Segue-se um outro produto que investe no mercado brasileiro, desta feita um fundo multiativos também gerido pela BPI Gestão de Activos. Com uma rentabilidade anualizada de 16,02%, o BPI Brasil ocupa a segunda posição enquanto fundo mais rentável nos últimos três anos, apresentando o segmento acionista como a classe de ativos mais preponderante em carteira – representa mais de metade do total. O segmento obrigacionista, por sua vez, representa 35,54% do total da carteira, sendo que das cinco principais posições em carteira, três delas são deste segmento: Secretaria Tesouro Nacional e obrigações soberanas brasileiras. No que respeita a exposição sectorial, o sector financeiro surge novamente em destaque, representando 26,52% do total, seguido pelo sector de consumo defensivo, com 23,52%.

Na terceira posição surge um fundo cujo universo de investimento é distinto dos fundos anteriores. Trata-se do Caixagest Acções EUA, fundo de ações americanas gerido pela Caixagest que ostenta o selo Blockbuster Funds People e que alcançou uma rentabilidade anualizada de 11,02% e que apresenta como principais sectores em carteira os sectores industrial (22,58%), financeiro (19%) e de consumo cíclico (14,86%). Nomes como Boeing, UnitedHealth Group, Goldman Sachs Group ou Home Depot constituem, assim, os principais títulos em carteira.

Acima dos 10% de rentabilidade anualizada encontramos dois fundos com universos de investimento bastante específicos, o Caixagest Infraestruturas e o Montepio Euro Energy, cuja rentabilidade se fixou nos 10,46% e 10,20%, respetivamente.

Os 20 fundos mais rentáveis nos últimos três anos

Captura_de_ecra__2018-11-20__a_s_17

Fonte: Morningstar Direct, outubro de 2018

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente