Consumo das famílias sustenta o PIB


A BBVA Research prevê que o PIB português modere o ritmo de crescimento dos 2,1% verificados ao longo de 2018, para os 1,5% em 2019. Esta previsão reflete uma quebra de três décimas face ao que era previsto anteriormente e resulta de um contexto da “desaceleração da economia global, em particular da europeia, somada à existência de riscos ainda numerosos. Contudo, a recuperação irá prolongar-se, apoiada pela inércia positiva apresentada pela procura interna e que teria permitido uma evolução de 0,3% do PIB no primeiro trimestre do ano, bem como a recuperação progressiva da procura externa”, pode ler-se no relatório divulgado.

Captura_de_ecra__2019-04-16__a_s_11

A evolução do PIB em 2018 foi, segundo a BBVA Research, “novamente sustentada pela procura interna, em particular pelo aumento do consumo das famílias e, em menor medida, pelo aumento do investimento, tanto público como privado, e pelo consumo da administração pública. Em contrapartida, a procura externa contribuiu negativamente para o crescimento, fruto de uma maior desaceleração das exportações de bens e serviços face à observada nas importações”.

Captura_de_ecra__2019-04-16__a_s_11

Neste sentido, a casa de research espera que o crescimento da economia portuguesa prossiga, embora a um ritmo mais moderado. “Os sinais extraídos dos indicadores da despesa e do mercado de trabalho correspondentes a 2019 sugerem que o consumo privado terá mantido a sua evolução ao longo do primeiro trimestre do ano. Por um lado, as vendas a retalho continuaram a aumentar em janeiro e fevereiro (+4,9% em média em termos homólogos), após o aumento no último trimestre de 2018, e apesar de o indicador de confiança do consumidor ter acelerado a sua tendência negativa e o crédito ao consumo continuar a registar quedas desde novembro de 2018”, comentam.

Captura_de_ecra__2019-04-16__a_s_11

Captura_de_ecra__2019-04-16__a_s_11

Consulte o relatório completo no link

 

 

Notícias relacionadas

O Mais Lido