Tags: Custódia | Negócio |

Concentração na atividade custodiante tem vindo a aumentar


O relatório trimestral de intermediação financeira, publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, revela que o montante de títulos que as 35 entidades que prestam os serviços de custodiante de títulos por conta de outrem têm à sua guarda registou um crescimento de 4,2% no primeiro trimestre deste ano. Assim, este montante passou para cerca de 237.651 milhões de euros, o que compara com os cerca de 227.972 milhões de euros registados no final de dezembro de 2017.

Para além disto, é possível concluir, ainda, que o Banco Comercial Português viu a sua quota de mercado cair em 3,3% para 21,2%. Não obstante, manteve a sua posição de entidade custodiante com maior preponderância de mercado. Uma das novidades neste relatório é a presença do Banco Santander Totta enquanto entidade com a segunda quota de mercado mais elevada (18,6%), tendo registado um crescimento de 23,5% e ultrapassado o Novo Banco e a Caixa Geral de Depósitos. Por outro lado, a Caixa Geral de Depósitos ocupa agora a terceira posição, com uma quota de mercado de 17,6%, seguindo-se o Novo Banco, com um peso no mercado de 15,6%.

Captura_de_ecra__2018-05-15__a_s_16

Fonte: CMVM, março de 2018

Índice de Concentração continua a aumentar

Outra das conclusões que podemos retirar deste último relatório é que a concentração na atividade custodiante tem vindo a aumentar. De acordo com os dados revelados, o Índice de Concentração entre as três maiores entidades situou-se nos 57,4% no final do primeiro trimestre deste ano – que contrasta com os 54,9% verificados em igual período do ano passado. Já o Índice de Concentração entre as cinco maiores entidades é já superior a 82%, enquanto que o Índice de Herfindahl-Hirschman se fixou nos 1.474,3 pontos, um limiar considerado ainda competitivo pelos standards internacionais.

Captura_de_ecra__2018-05-15__a_s_16

Fonte: CMVM, março de 2018

Notícias relacionadas

O Mais Lido