Tags: Obrigações |

Como se comportaram os fundos de obrigações em março?


Segundo a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP - existem mais de duas dezenas de produtos que se enquadram numa das suas três categorias destinadas às obrigações: Obrigações de Taxa Indexada, Obrigações Euro e ainda Obrigações Internacionais.

Dos 22 produtos existentes, aquele que registou melhor performance no mês passado foi o Montepio Taxa Fixa, gerido pela Montepio Gestão de Activos. No mês de março a sua rendibilidade situou-se em 0,67%, com o fundo a investir "no mínimo 2/3 do seu valor líquido global, diretamente ou indiretamente, em obrigações", conforme nos revela o prospecto. Em termos de ativos em carteira, no final do mês passado o produto geria cerca de 6,6 milhões de euros, com os títulos de dívida pública portuguesa e espanhola a dominarem os maiores investimentos do portefólio.

Com uma rendibilidade de 0,56% surge um produto da GNB Gestão de Ativos que é gerido por Vasco Teles: o NB Obrigações Europa. Foi o melhor fundo de obrigações de 2015 e no final do mês passado geria mais de 36 milhões de euros. Na ficha do produto do mês passado, o gestor referia que a Grécia e Portugal ajudaram na rendibilidade do produto, com a "exposição à inflação e ainda o risco de taxa de juro" a não ajudarem o fundo a conseguir registar uma maior rendibilidade. Além disso, os "atrasos na implementação da nova administração americana e o ciclo de inflação europeia a inverter a partir da primavera" vão levar o "mercado a concentrar-se nos riscos de escassez e imprevisibilidade política em Itália e França", revela o gestor. Também para emergir um novo enquadramento político internacional, "questionando o estatuto do comércio internacional e levantando incertezas quanto ao processo de globalização actual", o que pode "gerar novos padrões de inflação e crescimento ainda não interiorizados pelos investidores", sublinha o gestor.

O top três fecha com o Popular Euro Obrigações que é gerido pela Popular Gestão de Activos. Em março, o fundo atingiu ganhos na ordem dos 0,31% com o património total a rondar os cinco milhões de euros. De acordo com o prospecto do produto, o fundo "procura aproveitar a evolução do ciclo de taxas de juro na zona Euro e adequa-se a aplicações superiores a um ano", com pelo menos dois terços da carteira a estar aplicada em obrigações de taxa variável. Em termos sectoriais, o segmento Industrial, consumo não cíclico e ainda o financeiro representam cerca de metade da carteira.

Os fundos de obrigações em destaque no mês de março

Fundo Categoria APFIPP Gestora Rendibilidade Março (%)
Montepio Taxa Fixa Obrigações Euro Montepio Gestão de Activos 0,67
NB Obrigações Europa Obrigações Euro GNB Gestão de Ativos 0,56
Popular Euro Obrigações Obrigações Euro Popular Gestão de Activos 0,31
NB Capitalização Taxa Indexada GNB Gestão de Ativos 0,20
NB Renda Mensal Taxa Indexada GNB Gestão de Ativos 0,20
CA Rendimento Taxa Indexada Crédito Agrícola Gest 0,19
Caixagest Obrigações Mais Obrigações Euro Caixagest 0,19
Optimize Europa Obrigações Obrigações Internacionais Optimize Investment Partners 0,14
Santander Multitaxa Fixa Obrigações Euro Santander Asset Management 0,11
IMGA H&Y Bond Selection Obrigações Euro IM Gestão de Ativos 0,10

Fonte: Morningstar no final de março.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas