Tags: Negócio |

Como estão os PMI da indústria e o que poderão indicar para 2020?


Um dos indicadores económicos que acompanho há vários anos para tentar antecipar a evolução das bolsas é o Purchasing Managers Index (PMI) do setor industrial.

Comecemos pelo indicador da zona euro. Em dezembro de 2012 o PMI industrial estava nos 46,1, um valor próximo do atual (45,9 em outubro e 46,9 em novembro de 2019). A Alemanha apresenta atualmente o PMI industrial mais baixo dos últimos 7 anos: 44,1 em novembro contra 46 em dezembro de 2012 e 63,3 em dezembro de 2017. E em setembro de 2019, o PMI industrial da Alemanha esteve nos 41,7, na altura, o valor mais baixo dos últimos 92 meses.

Das 4 maiores economias da zona euro, apenas a França regista um PMI da indústria acima de 50 (51,7). A Espanha e a Itália registaram valores de 47,5 e 47,6 respetivamente em novembro.

Portanto, o panorama continua bastante deprimido ao nível deste indicador e está espelhado no reduzido crescimento económico da zona euro. Apesar de uma ligeira recuperação desde setembro, os valores estão ainda abaixo do nível 50. Contudo, apesar de os PMI’s estarem em mínimos de vários anos, o principal índice europeu Stoxx 600 atingiu recentemente novos máximos e até ao dia 23/12 subiu cerca de 23,7% year to date, o que não deixa de ser algo surpreendente!...

Na Europa, é de salientar que o Reino Unido registou nos últimos meses uma pobre performance do PMI industrial, refletindo a confusão política que o país viveu ao longo de 2019 e que tem sido prejudicial para a confiança e evolução económica.

Fora da Europa e apesar de a guerra comercial EUA / China (só a meio de dezembro, houve o acordo da primeira fase), o PMI da indústria na China sobe desde junho, estando há 4 meses acima dos 50 pontos. Em novembro, o PMI da indústria na China ficou em 51,8.

Nos EUA, o PMI da indústria nunca esteve este ano abaixo de 50 e até subiu nos últimos 3 meses. Em novembro, ficou nos 52,6 (51,3 em outubro).

O PMI da indústria no Japão encontra-se abaixo dos 50 pontos desde abril. Em novembro, encontrava-se em 48,9.

Concluindo, o bloco económico que revela mais dificuldades é a zona euro. Desde janeiro que o indicador PMI da indústria se encontra abaixo dos 50 pontos e bem distante dos 60,6 registados em dezembro de 2017.

A economia da zona euro tem demonstrado desde o início da crise financeira mais sensibilidade a eventos negativos do que outras economias. A persistência de taxas de juro nominais e reais negativas não ajuda a economia, fazendo adiar decisões de investimento. É determinante que a estratégia do BCE se altere com vista a corrigir esta situação.

A bolsa europeia é muito sensível à evolução do PMI industrial. Seria positivo que a recente ligeira melhoria do indicador continuasse em dezembro e nos primeiros meses de 2020.

Apesar do desconto que as ações europeias apresentam face às ações dos EUA (em termos de Price Earnings e de outros indicadores), reconhecido pela generalidade dos analistas financeiros, é necessário que haja um ou mais catalisadores positivos para que seja possível reverter esta performance. A recuperação do PMI industrial seria sem dúvida um desses catalisadores.

 
Profissionais

Notícias relacionadas

O Mais Lido