Como é que implementamos a nossa estratégia no dia a dia?


Desde que começámos em 2000, já visitámos e analisámos cerca de 1,600 Hedge Funds, já investimos em 400 e temos presentemente na carteira 82. Durante estes 12 anos fizemos 70 viagens, estivemos em 22 cidades e temos mais de 3,000 cartões de visita no nosso Rolodex.

Ao longo destes primeiros 12 anos, para além dos 4 pilares da nossa estratégia já referidos no artigo anterior, temos vindo a testar e a consolidar ideias que nos têm ajudado até aqui e que procuramos sempre refinar e melhorar.

Como exemplo, aqui ficam algumas:

1. Entendemos que é melhor um 'hedge fund' ter um accionista e gestor perfeitamente identificado do que uma estrutura com muitos sócios;

2. Achamos também que é melhor um 'hedge fund' ser independente do que integrado numa grande organização;

3. Pensamos que é melhor estar concentrado num único escritório do que disperso por várias cidades;

4. Julgamos que uma grande alteração no número de empregados não é um bom sinal;

5. Queremos que o gestor seja gestor a 200%. Não deve dispersar-se pelo golfe, pelas associações de beneficência, nem por outras distracções;

6. Preferimos sempre que o gestor seja capaz de se adaptar e não seja um fundamentalista cheio de regras absolutas e certezas;

7. Não gostamos de 'leverage', ou seja, de gestores que pedem dinheiro emprestado para além daquele que nós investimos;

8. Nós queremos que os nossos gestores tenham uma mentalidade “longo de opções". Isto significa normalmente ganhar pouco, mas ocasionalmente o 'hedge fund' sobe rapidamente. O que nós não gostamos é de gestores que ganham quase sempre e de vez em quando têm grandes quedas;

9. Também não gostamos de resultados alisados, do género, todos os meses 1%;

10. Existe uma dimensão ideal no tamanho dos fundos, muitos activos acaba por prejudicar os retornos;

11. Etc. …

Estaremos sempre a tentar melhorar estas e outras normas de funcionamento.

Durante estes 12 anos nem tudo correu bem, alguns 'hedge funds' deixaram de se valorizar, outros foram dissolvidos depois de nós termos saído.

Estamos satisfeitos que o valor das acções BPI Strategies – Vasco da Gama tenha subido, apesar de nem tudo ter corrido bem e, porque não dizê-lo, apesar de alguns erros de julgamento. Mas pensamos que o nosso sistema é robusto por ter funcionado mesmo quando as condições objectivas foram desfavoráveis.

Durante os nossos 12 anos de existência as acções desceram e a BPI Strategies – Vasco da Gama subiu. Este era o objectivo e foi conseguido. Se nos próximos 12 anos os mercados estiverem favoráveis o que nós esperamos é que as acções subam e nós também.

Nós investimos em pessoas inteligentes e muito experientes mas não estamos no "Love Business", por isso quando alguma coisa não funciona nós mudamos, e não ficamos casados com um gestor que já não está a dar resultados.

Esta parece-nos uma boa forma de enfrentar o mundo que está em mudança vertiginosa e permanente, com mutações por vezes difíceis de prever.

It is not the strongest of the species that survives, nor the most intelligent that survives. It is the one that is the most adaptable to change.“ (Charles Darwin)

Notícias relacionadas

O Mais Lido