Clientes do Banco Invest ganham progressiva exposição a dívida emergente


Poucas diferenças aconteceram no Banco Invest face a outros meses, no que toca aos fundos preferidos dos clientes que utilizam a plataforma do Banco. Segundo Raul Póvoa, da entidade, “no início do segundo trimestre, os clientes não efetuaram alterações significativas”, tendo os clientes, no segmento obrigacionista, continuado com exposição a fundos de high yield (Pictet Eur High Yield).

Progressivamente, os clientes da entidade estão “a ganhar alguma exposição à dívida emergente (através do Consistente Funds People Pictet Global Emerging Debt)”, segmento onde, na opinião da entidade, “os spreads de crédito permanecem em níveis razoáveis, considerando a esperada estabilização das economias emergentes e do preço das matérias-primas, em particular do petróleo”.

De igual modo, também os fundos de ações continuaram em destaque. “Os clientes continuaram a dar preferência a fundos de ações, em particular em fundos europeus (Deutsche Top Euroland, e o UBS Equity European Opportunity Unconstrained)”, conta Raul Póvoa, que deixa algumas palavras sobre a visão da casa para esta classe de ativos. “O Outlook para os mercados acionistas mantém-se positivo, embora numa conjuntura de maior volatilidade, crescimento económico moderado e taxas de juro muito baixas (ou negativas, no caso da Zona Euro)”.

Adicionalmente, também “os fundos mistos continuaram no top das preferências dos clientes (Nordea Stable Return, Alves Ribeiro PPR).

Fundos preferidos em abril

Captura_de_ecra__2016-05-17__a_s_15

Profissionais
Empresas