Tags: Gestores |

Cinco frases que condensam a filosofia de investimento de Charlie Munger


Warren Buffett é uma das pessoas que de tempos a tempos aparece em meios de comunicação, muito embora não seja por ter protagonizado algum facto noticioso; a sua ampla experiência e sabedoria nos princípios de investimento value fizeram do “Oráculo Omaha” um investidor seguido e respeitado. Comparativamente, contudo, não é tanta a atenção que se presta àquele que tem sido a sua mão direita durante os últimos 55 anos, Charlie Munger.

David Clark é um investidor, advogado e co-autor de oito livros sobre Warren Buffett, que acaba também de publicar um livro sobre Charlie Munger. Recentemente, para a MarketWatch detalhou uma seleção com as cinco frases preferidas do investidor, que denomina de “munguerismos”.

#1 “O desejo de enriquecer rapidamente torna-se bastante perigoso”

“Munger ensinou-me quando era jovem que tentar tornar-se rico rapidamente é perigoso”, afirma Clark. Refere-se por um lado à amplitude de instrumentos com os quais opera no curto prazo ou no muito curto prazo (derivados, contratos, oscilações no preço de uma ação, futuros ...): “Uma enorme quantidade de gente está a tentar fazer o mesmo, muitos deles estão muito melhor informados do que eu estou, e o movimento no curto prazo de qualquer título ou derivado está sujeito a todo o tipo de torções exageradas devido a acontecimentos que não têm nada a ver com o valor real no longo prazo do negócio subjacente”, explica.

Outro caminho para gerar rentabilidades é mediante a alavancagem. Clark também tem avisos a esse nível: “Para enriquecer rapidamente, com frequência é necessário utilizar a alavancagem para amplificar as pequenas oscilações de preços para conseguir grandes ganhos. Se as coisas vão a nosso desfavor, também se podem converter em perdas verdadeiramente grandes”.

Por estas razões, continua o especialista, Munger e Buffett têm evitado a alavancagem ao longo da sua carreira profissional, centrando-se em apostas longas baseadas em fundamentais económicos de longo prazo das empresas. 

#2 “Ter noção de que aquilo que não se sabe é mais útil do que ser brilhante”.

Neste caso, Clark dá um exemplo real desta afirmação. No final dos anos 90, muitos investidores lançaram-se na compra de negócios tecnológicos que tinham por base a internet, alimentando assim a bolha especulativa que rebentou em 2001. “Munger sabia que não entendia estes novos negócios da internet, pelo que ele e a Berkshire Hathaway os evitaram por completo. Grande parte de Wall Street pensou que eles tinham ficado para trás. Mas quando a dot.com finalmente estalou, e se perderam muitas fortunas, foi quando Munger pareceu brilhante”, resume Clark.

#3 “As pessoas tentam ser inteligentes. A única coisa que eu tento fazer é não ser idiota, mas é mais difícil do que aquilo que muitos pensam”.

A filosofia value de Munger leva-o a adquirir empresas que tenham sofrido um revés no mercado, mas cujos fundamentais económicos continuem intactos. Mantêm-nas no longo prazo, até que eventualmente os subjacentes impulsionem a cotação.

“A única coisa com que Munger tem que ser cuidadoso é não fazer nada estúpido, que no seu caso costumam ser erros por omissão como não atuar quando vê um investimento atrativo, ou comprar uma posição muito pequena quando se apresenta diante de uma grande oportunidade. Descobriu que isto é na realidade mais difícil de fazer do que aquilo que se pode pensar”, resume Clark.

#4 “Sit on your ass investing. Pagar-se-á menos aos brokers, ouvirás menos coisas sem sentido e, se funcionar, o sistema imposto dar-te-á um, dois ou três pontos percentuais ao ano”.

Neste caso, o argumento tem a ver com um investidor poder fazer mais dinheiro se comprar um negócio que apresente fundamentais excecionais e o mantenha em carteira durante muitos anos, do que, se por outro lado, efetuasse muitas operações de compra e venda em antecipação de movimentos do mercado. Se tiver paciência para manter um investimento durante 20 anos, apenas haverá que tributar uma vez, o que segundo Munger é o mesmo que conseguir uma rentabilidade extra de um a três pontos percentuais ao ano”, explica Clark.

O autor dá como exemplo os frutos trazidos pelo juro composto a favor dos investidores ao longo do tempo: um investimento de um milhão de dólares que gere um juro composto de 4% anual acabará por alcançar no final de 20 anos os 2.191 milhões de dólares. Se a isto se acrescentarem os 3% extra de tributação, então o juro composto ascenderá a 7%, pelo que o investimento poderá chegar aos 3.869 milhões de dólares.

“De acordo com Munger, o tempo está do lado dos negócios que têm fundamentais excecionais trabalhando a seu favor. Mas, para os negócios mediocres, o tempo é uma maldição”, conclui o autor.

#5 Maneiras de tirar um doce a uma criança

A última afirmação de Munger refere-se a uma expressão em inglês que não tem um equivalente literal em português (“My idea of shooting a fish in a barrel is draining the barrel first”), mas que tem a ver com a noção do investidor de que os investimentos acabam por ser tão fáceis como tirar um doce a uma criança.

Clark interpreta o último pedaço de sabedoria da seguinte forma: “Às vezes o mercado, que tem pouca visão de longo prazo, oferece uma oportunidade de investimento que é tão óbvia que é difícil não se “lançar” a ela. Costuma acontecer quando os investidores têm pânico e vendem todos os seus investimentos, inclusive os que têm fundamentais estupendos a longo prazo”. Estes momentos são os que encerram as oportunidades: os títulos caem e para Munger é mais fácil investir neles, sempre que se tratem de negócios de muita qualidade que têm ficado subvalorizados. 

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente