Tags: EUA |

Chart of the week - Guerra de tarifas


 (O 'Chart of the Week' desta semana é da autoria de Vasilya Mustafina, selecionadora de fundos, da Quantum)

Untitled

Fonte: Bloomberg

No dia 5 de maio o presidente Trump publicou um tweet onde ameaçava aumentar as taxas alfandegárias entre 10% e 25%, a algumas mercadorias provenientes da China, em resultado da escalada da guerra de tarifas, o que provocou uma forte reação nos mercados e, desde essa data, o índice MSCI China já caiu 11%, estando os índices dos EUA e Europa também negativos.

A “Forced technology transfer” (FTT) tem sido um dos principaiVIMs causadores de fricções nas relações comerciais EUA-China. A principal queixa refere-se à transferência de tecnologia de empresas estrangeiras para os seus parceiros locais chineses como parte da política e das leis de IED da China - de modo que a China vem "roubando" tecnologia avançada estrangeira. No entanto, em 2017, por exemplo, as taxas de licenciamento e royalties que a China pagou pelo uso de tecnologia estrangeira chegaram a quase USD 30 bilhões, não admitindo as acusações de FTT. Durante anos essas disputas foram tratadas dentro da OMC, mas não de forma eficiente.

As taxas alfandegárias à importação estão a ser usadas pelos EUA como um mecanismo de pressão. Estas ferramentas estão a prejudicar as economias e, como o comércio é global, ameaçam o crescimento económico mundial. A China, pelo seu lado, usou inicialmente vendas de Treasuries, sendo a China o maior detentor estrangeiro deste ativo. Depois do aumenta das tarifas pelos EUA, a China ripostou, aumentou por sua vez as taxas alfandegárias, o que resulta numa forte escalada desta “guerra” comercial.

Baixas barreiras alfandegárias e livre comércio são essenciais para que o tão desejado crescimento económico seja uma realidade em todo o mundo. Esperemos que os governantes entendam isso.   

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente