Tags: Negócio |

Chart of the Week - "February Funk"


O Chart of the Week desta semana é da autoria de Raul Póvoa, da gestão de ativos da Invest Gestão de Ativos

image002

Fonte: London Business School, Elroy Dimson, Paul Marsh e Mike Staunlon

Captura_de_ecra__2018-02-22__a_s_18Um dos gráficos que me chamou a atenção esta semana foi o número record de dias que o índice VIX, que mede a volatilidade implícita do Índice S&P 500, levou a convergir para a média histórica. Esta foi a reversão mais rápida das últimas 13 crises que, em média, duram 92 dias úteis. A taxa média de longo prazo para o VIX é de 20%.

Após um período grande de volatilidade reduzida, o índice VIX disparou, para valores acima de 50%, tendo atingido o valor máximo de 50.30% a 6 de Fevereiro. Foram precisos apenas sete dias de negociação para o índice VIX reverter para a sua média após o "February Funk" deste ano.

Segundo o estudo da London Business School, dos Professores Elroy Dimson, Paul Marsh e Mike Staunlon, o aumento de volatilidade implícita apenas ajuda a prever a volatilidade de curto prazo, e não ajuda a estimar o retorno futuros das acções. Em casos de aumento significativos de VIX, os retornos anuais nos períodos seguintes foram positivos. Veja-se o gráfico abaixo.

image005

Fonte: London Business School, Elroy Dimson, Paul Marsh e Mike Staunlon

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Chart of the Week - A volatilidade das criptomoedas

No Chart of the Week desta semana regressamos a um tema que esteve tão em voga durante o ano passado, mas que nestes primeiros meses de 2018 tem vindo a ter menos destaque. Rui Olo, responsável na direção de marketing pelos produtos e investimentos do ActivoBank, analisa a volatilidade das criptomoedas, em particular da Bitcoin.

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido

Próximos eventos