Captações: os fundos nacionais na linha da frente em 2019


O ano de 2019 tem se revelado muito positivo em termos de comportamento dos ativos de risco, mas não só. Alguns fundos nacionais capitalizaram o desinvestimento que ocorreu perante o mau comportamento dos mercados no final do ano passado e atraíram, entre janeiro e setembro, uma quantia significativa de dinheiro

Mais especificamente, os 20 fundos com maiores captações em 2019, com referência ao final de novembro, atraíram mais de 1,59 mil milhões de euros de subscrições líquidas e fecharam o mês com 4,79 mil milhões de euros em ativos sob gestão. Para colocar em perspetiva, falamos de um montante líquido de subscrições equivalente a um terço dos ativos sob gestão do final de novembro. Foi, portanto, um duplo efeito - mercado e dinheiro novo - que impulsionou estes fundos durante o ano. 

O fundo que mais captou no ano tem estado na linha da frente praticamente todo o ano, é o maior fundo de ações nacional e ostenta o selo Funds People pelas suas classificações de Consistente e Blockbuster. O Caixagest Ações Líderes Globais, da Caixa Gestão de Ativos, captou mais de 230 milhões de euros e fechou novembro com 876 milhões de euros. É também o único fundo de ações entre estes 20. 

No global, foram os fundos multiativos que melhor comportamento mostraram este ano ao nível de captações. Contudo, os três fundos desta categoria que seguem o líder da tabela foram também dos fundos mais recentemente criados no mercado. O Santander Rendimento, da Santander AM, criado em novembro de 2018, captou este ano 192 milhões de euros, enquanto os Caixa Wealth Moderado e Defensivo, da Caixa GA, captaram 141 e 139 milhões de euros respetivamente. O primeiro fundo de obrigações no ranking, embora seja um fundo de gestão de liquidez, é o IMGA Liquidez, da IMGA, que captou 125 milhões de euros. 

Captura_de_ecra__2019-12-16__a_s_16

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido