Tags: Negócio |

Captações líquidas dos fundos de ações, em maio


No mês de maio as captações líquidas dos fundos de investimento nacionais tiveram saldo negativo, na ordem dos 103,4 milhões de euros. Se expandirmos a análise para 2016, então o saldo acumulado é francamente negativo, na ordem dos 560 milhões de euros.

Os fundos de ações não fogem à regra. No mês passado o saldo entre subscrições e resgates também foi negativo. As cinco categorias analisadas – Ações Nacionais; Ações UE, Suíça e Noruega; Ações América do Norte; Ações Sectoriais; e Outros Ações Internacionais – totalizaram um saldo negativo de 7,2 milhões de euros, com apenas uma categoria a conseguir ter saldo positivo. Tratou-se do segmento que junta os “outros fundos de ações internacionais” que teve um saldo superior a 3,3 milhões de euros.

Para este valor, neste segmento, em muito contribuiu o fundo Caixagest Ações Líderes Globais. Gerido pela Caixagest, o fundo registou entradas líquidas de dinheiro de 3,9 milhões de euros, voltando assim, a liderar o mês, depois de ter saído da liderança no mês de abril. No final de maio geria mais de 187 milhões de euros com as cotadas Siemens, Exxon Mobil e L’Oreal a serem os três maiores investimentos em carteira. Este fundo é, também, um produto ‘super-vendas’ em Portugal, classificação dada pela Funds People com base na sua metodologia.

Restantes mais residuais

Os restantes produtos que conseguem ter mais subscrições do que resgates, em maio, não apresentam valores superiores a 200 mil euros. Com 136 mil euros surge o Montepio Acções Europa, da Montepio Gestão de Activos, com o top 3 a ser finalizado com o Caixagest Acções Emergentes, com mais de 61 mil euros em entradas líquidas de dinheiro.

Os fundos de ações com captações líquidas positivas em maio

Captacoes liquidas acoes maio 2016

Fonte: APFIPP no final de maio

Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos