Tags: Negócio |

Captações líquidas: fundos de curto prazo em evidência


O primeiro mês do segundo semestre do ano voltou a trazer as captações líquidas dos fundos mobiliários nacionais para terreno negativo. O valor do saldo entre subscrições e resgates foi de -102 milhões de euros, segundo a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP. Já em termos acumulados, nos sete primeiros meses do ano as subscrições líquidas são negativas em cerca de 1.132 milhões de euros.

Ainda assim, existem algumas categorias que se evidenciaram pela positiva. A que mais se destacou foi aquela que junta os Fundos de Curto Prazo, com o saldo a ser positivo na ordem dos 39,9 milhões de euros.

Dois Blockbuster na lista

De todos os produtos que fazem parte do segmento, aquele que mais contribuiu positivamente foi o BPI Liquidez que está sob alçada da BPI Gestão de Activos. No mês de julho registou entradas líquidas de 33,5 milhões de euros que se traduzem em mais de 150 milhões de euros desde do início do ano, elevando o fundo ao segundo lugar entre os maiores produtos nacionais. Se olharmos para os ativos em carteira, o destaque vai para dívida pública nacional e espanhola, além de alguns depósitos a prazo em instituições nacionais. Este fundo ostenta, também, um selo Funds People, que no caso é o de Blockbuster.

O outro fundos Blockbuster é o Santander MultiTesouraria que é gerido pela Santander Asset Management. Foi o fundo do segmento que registou menor volume em captações líquidas positivas, tendo ficado perto de um milhão de euros.

“Recém-chegado “ destaca-se

O segundo fundo que mais captações líquidas atingiu em julho, dentro da categoria analisada, foi o CA Curto Prazo. Gerido pela Crédito Agrícola Gest, o fundo registou entradas líquidas de dinheiro superiores 6,8 milhões de euros. Este fundo foi lançado já este ano, tal como a Funds People Portugal lhe deu conta aqui.

O Popular Tesouraria, da Popular Gestão de Activos, foi o outro fundo que se destacou, de forma positiva, em julho. No mês passado registou um saldo entre subscrições e resgates de 2,8 milhões de euros.

Os fundos curto prazo com saldo positivo em julho

Captura_de_ecra__2016-08-26__a_s_12

Fonte: APFIPP

Empresas