Tags: Negócio | Ações |

Captações líquidas em julho: fundos de ações


O primeiro mês do segundo semestre do ano seguiu em linha com os meses anteriores no que toca às captações líquidas: os resgates dominaram. Segundo a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – o mês de julho trouxe as captações líquidas para terreno vermelho, na ordem dos 102 milhões de euros. Em termos acumulados, nos sete primeiros meses do ano as subscrições líquidas são negativas em cerca de 1.132 milhões de euros.

A mesma tendência foi seguida pelos fundos de ações. A Associação indica que este segmento – que engloba os fundos de ações nacionais; UE, Suíça e Noruega; América do Norte; Sectoriais; e Internacionais – registou mais resgates do que subscrições em cerca de 17 milhões de euros, com todas as categorias em terreno negativo.

Mês (muito) modesto

Dos fundos de ações geridos pelas entidades nacionais, aquele que registou mais captações líquidas foi o BPI Ásia Pacifico. Sob responsabilidade da BPI Gestão de Activos, o fundo conseguiu entradas líquidas de dinheiro de 52,8 mil euros. No final do mês passado o seu património superava os 4 milhões de euros, com o investimento a ser realizado em “ações, obrigações com direito de subscrição de ações, obrigações convertíveis em ações, warrants e qualquer outro tipo de valor que confira o direito de subscrição de ações, seja convertível em ações ou tenha a remuneração indexada a acções de sociedades de países do Continente Asiático e Oceânia ou que desenvolvam uma actividade significativa no Continente Asiático e Oceânia”, segundo se lê no prospeto do fundo.

Da GNB Gestão de Ativos vem o segundo fundo de ações com mais captações líquidas positivas em julho. Trata-se do NB Ações América que é da responsabilidade de Miguel Anjos. Em julho, as suas captações líquidas foram de 27,5 milhões de euros e nesse mesmo mês, o que impulsionou as rendibilidade do produto foram as “empresas de tecnologia nos EUA” e ainda as “farmacêuticas americanas”, segundo se pode ler no relatório mensal do fundo. Além disso, o gestor referiu ainda que “julho foi um mês de recuperação dos mercados de ações, com destaque para os setores cíclicos”.

A fechar o top3 vem o Invest Médias Empresas Portugal que é gerido pela Invest Gestão de Activos. Conseguiu registar captações líquidas superiores a 17,7 milhões de euros, com este produto a ser “direccionado para investidores nacionais e estrangeiros que pretendam investir no mercado acionista português, preferencialmente em ações de empresas de média capitalização bolsista”, segundo o documento oficial do fundo.

Fundos com captações líquidas positivas em julho

CAptacoes liquidas açoes Julho16

Fonte: APFIPP no final de julho

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido