Tags: Negócio |

Captações da IM Gestão de Activos em destaque no panorama nacional


Momentos de volatilidade e incerteza são normalmente sinónimos de potenciais oportunidades futuras, mas também de desafios imediatos. Desafios esses que, pelo menos na indústria da gestão de ativos, não poupam ninguém. Se por um lado para os investidores não é claro onde está escondida a rentabilidade que tanto buscam, e que agora é tão necessária para colmatar as perdas sofridas e amparar os abanões do primeiro trimestre, também as entidades gestoras de fundos de investimento têm esforços acrescidos em tentar convencer os seus clientes a manterem-se investidos. Como já demos conta anteriormente, esta foi uma tarefa árdua no primeiro trimestre, em que se registaram resgates na ordem dos 619 milhões de euros dos fundos de investimento nacionais, segundo os dados disponíveis na Morningstar Direct. 

Os números negativos alastram-se se considerarmos o período decorrido desde o início do ano. A verdade é que até mais de metade das entidades gestoras nacionais, contando com fundos comercializados em Portugal e no Luxemburgo, somam captações negativas em 2020. Ou seja, registavam mais outflows do que inflows para os seus produtos. Há, contudo, entidades que escapam à regra, nomeadamente a IM Gestão de Ativos. Com 56 milhões de euros captados no início do ano, esta entidade encontra-se destacada como aquela que mais património angariou para os seus fundos, de tal forma que soma mais do dobro das captações conseguidas pela casa gestora seguinte, a Bankinter Gestão de Ativos (23 milhões de euros).

Porém, os louros da IMGA não ficam por aqui, já que foi esta entidade que também conseguiu angariar o maior valor de património a um ano, somando 495 milhões de euros de inflows. Neste capítulo a proximidade entre entidades gestoras já é mais pronunciada, com a Santander Asset Management a surgir em segundo lugar com 331 milhões de euros captados, e a GNB Gestão de Ativos, com 138 milhões. De realçar ainda que a IMGA já havia sido destacada ao nível das captações conseguidas por dois dos seus produtos de investimento em obrigações.

Confira abaixo a tabela com informação referente às captações a um ano e YTD de entidades nacionais. De notar que estão contemplados apenas os dados disponibilizados pela Morningstar Direct relativos a fundos domiciliados em Portugal e no Luxemburgo.

Entidade Gestora Captações YTD Captações a 1 ano
IM Gestão Activos 56,728,778 € 495,998,666 €
Bankinter Gestão de Ativos 23,131,795 € 36,846,083 €
Invest Gestão de Activos 10,882,058 € 33,887,609 €
Optimize Investment Partners 3,389,779 € 8,505,055 €
Sixty Degrees 1,957,435 € 5,217,056 €
Haitong Bank 535,564 € -3,211,075 €
Nevastar Finance (Eurobic) -463,285 € -2,763,220 €
Dunas Capital -3,509,856 € -5,242,823 €
Montepio Gestão de Activos -4,359,186 € 22,298,844 €
GNB Gestão de Ativos -6,516,896 € 138,699,939 €
Popular Gestão de Activos -13,210,338 € -40,798,936 €
Atrium Investimentos -16,521,155 € -29,859,881 €
Santander Asset Management  -26,144,485 € 331,776,121 €
BPI Gestão de Activos -52,822,784 € -276,772,354 €
Caixa Gestão de Ativos -142,614,735 € 70,694,606 €
Fonte: Morningstar Direct, dados de final de abril 2020
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido