Caixagest Liquidez foi o fundo com maior volume gerido no primeiro semestre


Junho já foi analisado quanto à quantidade de AuM em quase todos os segmentos de fundos de mercado: ações, obrigações e mistos. Posto isto, resta terminar a análise e perceber quais os maiores fundos monetários e de obrigações de muito curto prazo, neste sexto mês do ano.

Este segmento de fundos geria, no período em análise, um total de cerca de 4 mil milhões de euros, o que totaliza uma média à volta dos 316 milhões de euros de volume gerido por fundo. Com base nos dados da Morningstar Direct, elaboramos um top 5 dos fundos com um maior valor sob gestão de ativos neste segmento.

No topo desta lista, com um total de cerca de 1.316 milhões de euros, está o 'peso-pesado' Caixagest Liquidez, da responsabilidade da Caixagest. O produto de investimento mobiliário aberto investe 75,02% da carteira em depósitos a prazo, 19,20% em papel comercial, 4,66% em liquidez e 1,12% em obrigações de taxa variável.

Logo atrás, surge a gestora BPI Gestão de Activos com o fundo BPI Liquidez a gerir cerca de 1.150 milhões de euros no mês de junho. De acordo com a ficha de produto, a carteira do fundo aberto de tesouraria “é maioritariamente constituída por ativos de maturidade inferior a um ano, proporcionando uma rentabilidade dependente da evolução das taxas de juro de curto prazo”.

Exatamente a meio do ranking, surge mais um fundo da mesma gestora, o BPI Monetário Curto Prazo. No mês em questão, o fundo tinha um total de cerca de 608 milhões de euros em ativos sob gestão. Segundo a ficha de produto, “a carteira do fundo é maioritariamente constituída por ativos de maturidade inferior a um ano, proporcionando uma rentabilidade dependente da evolução das taxas de juro de curto prazo”.

Abaixo do fundo da BPI Gestão de Activos, está o fundo IMGA Extra Tesouraria III, da responsabilidade da IM Gestão de Ativos. Gerido por Carlos Lages, a carteira do produto é composta por 74,2% de depósitos a prazo, 14,1% de obrigações e 11,8% de liquidez, e tem um volume sob gestão de 405,22 milhões de euros.

A fechar este ranking, a Santander Asset Management surge com o fundo Santander Multitesouraria. Gerido por Carmen Borondo, o fundo apresenta um património de cerca de 266 milhões de euros. Segundo a ficha de produto, a carteira investe 32,9% em obrigações de taxa fixa, 29,3% em liquidez e 29,1% em obrigações de taxa variável.

tab1

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos