BPI Gestão de Activos e Brasil: os grandes sinónimos de mais rentáveis em 2016


A história não é propriamente nova. O Brasil tem sido um dos grandes ‘hits’ de 2016 no que à performance diz respeito. Nos primeiros nove meses do ano (data de 30 de setembro) o MSCI Brazil entrega 62,90% de retorno, contra, por exemplo, os 16,02% de performance year-to-date do MSCI Emerging Markets, ou os 3,78% entregues pelo MSCI World nesse período. Tal como evidenciava recentemente o Financial Times num artigo, nos últimos 12 meses, dentro do universo de mercados emergentes, o Brasil tornou-se o país preferido dos investidores, existindo ainda espaço para um maior crescimento da sua performance, segundo o jornal inglês.

Esse caminho para ganhos ainda maiores, diz a publicação citando a opinião de analistas, poderá ser crescente à medida que o governo de Michel Temer (pró-mercado) começar a implementar as reformas económicas prometidas. Os números falam por si: só este ano o real valorizou-se quase 23% contra o dólar, enquanto o Ibovespa subiu quase 41% desde o impeachment de Dilma Rousseff em agosto.

À boleia do Brasil, com o motor da BPI GA

No mercado nacional não é de estranhar que os fundos mais rentáveis nos primeiros nove meses do ano tenham o Brasil como mercado de investimento eleito. Com um retorno muito próximo do já referido MSCI Brazil, o fundo mais rentável no período apresenta ao mercado ganhos de 66,13%, segundo os dados disponibilizados pela Morningstar Direct. Falamos do BPI Brasil Valor, a cargo da BPI Gestão de Activos, que na sua carteira (segundo o site da Morningstar) apresenta nos maiores títulos ações preferenciais do Banco Bradesco, títulos da Centrais Elétricas Brasileiras, da CETIP, da Iguatemi, e ainda da Petrobras. Recorde-se que o MSCI Brazil – também ele o benchmark Morningstar deste fundo – apresenta na sua composição um peso superior a 34% em empresas financeiras.

Embora no segundo lugar deste ranking se interponha um fundo que investe em metais preciosos, também aqui a hegemonia é da BPI GA. O BPI Metais Preciosos nos primeiros nove meses do ano apresenta-se com 56,25% de retorno, tendo uma predominância geográfica do Canadá (54,56% da carteira). O benchmark Morningstar do produto  - o Euromoney Global Gold – só em 2016 apresenta uma rentabilidade bruta de 93,7%.

Ainda no campo ‘Brasil’ destaque para o último fundo da BPI GA que completa a tríade de fundos mais rentáveis no período: o BPI Brasil, com um retorno de 45,64% desde que 2016 começou até ao final de setembro. Este fundo misto apresenta nas maiores posições dívida do país, e também ações preferenciais do Banco Bradesco.

Ainda no tema Brasil destaque para o Dunas Banco BIC Brasil, que no período apresenta 16,29% de retorno. Nas maiores posições o fundo estão por exemplo Dívida Pública do Brasil e investimentos no iShares MSCI Brazil. Recorde-se que apesar de gerido pela Dunas Capital, o fundo apresenta um consultor de investimentos brasileiro: a BRZ Investimentos.

Conheça a lista de 25 fundos mais rentáveis desde o início do ano:

Captura_de_ecra__2016-10-12__a_s_15

Fonte: Morningstar Direct, 30 de setembro
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido