Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa Portuguesa no vermelho na última sessão da semana


A bolsa portuguesa recuou, hoje, 0,76% para os 5.636,66 pontos, após o alívio do voto contra do Parlamento face à moção de censura apresentada pela oposição que levou à recuperação a contra ciclo na sessão de ontem. Assim e além do receio relativamente ao veredicto do Tribunal Constitucional, “o desempenho do PSI20 esteve condicionado pelo relatório de emprego de Março nos Estados Unidos. A criação de novos postos de trabalho durante Março foi consideravelmente mais fraca que o esperado. A taxa de desemprego caiu de 7,7% para 7,6% mas pelas más razões (verificou-se uma queda adicional da taxa de participação da força de trabalho para 63,3%, sendo este o valor mais baixo desde Maio de 1979)”, comentou Ricardo Almeida, da Patris Gestão de Activos.

Jorge Guimarães, do Banif Investimento, faz um resumo da semana referindo que “o PSI20 caiu 3,2%, penalizado pela conjugação de vários factores negativos: a incerteza política em Portugal, a continuação das repercussões da situação de Chipre e uma série de dados macroeconómicos abaixo do esperado na Europa e nos EUA”. A contribuir para o saldo negativo desta primeira semana de Abril, esteve também “a queda de empresas com grande visibilidade no exterior, como a Portucel que desceu 6,83%, a Altri 6.5% e a EDP 5,29%”.

No índice português, as maiores descidas foram a Altri que recuou 4,75% para os 1,783 euros e Novabase que perdeu 4,38% para os 2,600 euros.

O sector da banca também contribuiu para este resultado negativo tendo sido o BPI o título mais penalizado, com uma desvalorização de 3,85% para os 0,924 euros. O BCP recuou 2,30% para os 0,085 euros e o BES 0,94% para os 0,745 euros. O Banif fechou em contraciclo, subindo 2,68% para os 0,115 euros. Em resumo da semana e de acordo com o comentário de Jorge Guimarães, o mercado foi penalizado pela evolução negativa do sector financeiro com o BCP a recuar 11.46%, BPI 7.51% e BES 6,37%.

A Galp, no sector energético, foi também um peso pesado na sessão de hoje recuando 1,79% para os 11,780 euros. A REN fechou a última sessão da semana a perder 1,78% para os 2,158 euros, a EDP Renováveis recuou 0,86% para os 3,688 euros e a EDP desceu 0,35% para os 2,311 euros.

Entre os títulos da área e telecomunicações, a Portugal Telecom recuou 0,62% para os 3,844 euros, a Sonaecom perdeu 1,36% para os 1,665 euros e a Zon Multimédia foi a mais penalizada do sector com uma descida de 2,07% para os 3,130 euros

A Jerónimo Martins terminou a sessão com uma subida de 1,80% para os 15,815 euros, constituindo “o único destaque positivo foi a Jerónimo Martins (+4.29%), com vários brokers a fazerem recomendações positivas para os resultados do primeiro trimestre deste ano”, salientou Jorge Guimarães do Banif Investimento.

Profissionais
Empresas

O Mais Lido