Tags: Obrigações | Ações |

Bolsa Portuguesa entra em colapso na sequência da crise política estabelecida


No índice nacional, o cenário de queda foi geral com a banca a ser altamente penalizada pela crise política instaurada no país. O Banif recuou 14,13% para os 0,079 euros, o BCP que caiu 12,90% para os 0,081 euros. O BES deslizou 10,95% para os 0,545 euros e o BPI perdeu 8,44% para os 0,825 euros.

"A justificação para este retorno é simples apesar de dolorosa, a coexistência de uma crise política, despoletada esta semana, com uma crise económica-financeira, já existente nos últimos anos. É verdade que em 2008 a crise económica deu origem à crise política, mas as consequências são as mesmas, fortes desvalorizações com o crescendo da incerteza quanto ao rumo que virá a ser tomado", referiu José Barroso, gestor de activos na Popular Gestão de Activos.

Além da bolsa portuguesa, para as congéneres europeias o dia foi igualmente negativo. Portanto e, segundo José Barroso, "o comportamento das bolsas fez lembrar o ano de 2008, mais especificamente o índice nacional, tendo os índices europeus sofrido algum contágio, sobretudo o espanhol". O Ibex-35 fechou a cair 1,56% para os 7.763,8 pontos, o CAC 40 recuou 1,08% para os 3.702,010 pontos e o DAX 30 perdeu 1,03% para os 7.829,32 pontos.

Nas energéticas, a EDP foi o título com pior desempenho, fechando a perder 6,37% para os 2,308 euros. A EDP Renováveis recuou 3,97% para os 3,774 euros, a REN deslizou 3,39% para os 2,164 euros e a Galp Energia perdeu 2,17% para os 11,250 euros.

Na área de telecomunicações, a Zon Multimédia encerrou em baixa de 4,39% para 3,70 euros, assim como a Sonaecom que desvalorizou 8,18% para os 1,460 euros. A enorme pressão que caiu sobre os mercados fez passar despercebida a notícia de que estas duas empresas concordaram com as condições impostas pelo regulador da concorrência para avançar com o processo de fusão da Optimus com Zon. A Portugal Telecom fechou a perder 4,38% para os 2,792 euros.

A retalhista Jerónimo Martins recuou 2,24% para os 15,725%. As acções da Sonae SGPS também deslizaram (-5,14% para os 0,664 euros) devido à exposição da empresa ao mercado nacional.

Notícias relacionadas