Tags: Gestores |

Bolsa europeia e multiativos, as duas áreas que reforçaram as gestoras em abril


A celebração tardia da Páscoa abrandou significativamente o mercado de transferências de abril. Ainda assim as gestoras internacionais fizeram movimentos estratégicos para reforçar as suas áreas de interesse. Recordamos as principais nomeações do mês.

Uma das mais faladas foi a de Mark Heslop, como gestor de carteiras europeias especializadas em pequenas empresas da Jupiter Asset Management. A nomeação responde ao interesse da empresa em impulsionar esta área de negócio e já têm planeado lançar um fundo especializado na área de Heslop. O gestor conta com todo o know-how neste tipo de empresas já que vem da Columbia Threadneedle, onde geria mais 3.000 milhões de euros na estratégia de small caps com fundos como o Columbia Threadneedle European Small Companies.

A Columbia Threadneedle preencheu a vaga deixada por Heslop com Scott Woods. O gestor entrou na empresa em 2015 como analista e gestor da equipa de ações globais com especialização nas pequenas empresas cotadas nos EUA, pelo que era responsável por metade das empresas que fazem parte da carteira. Além disso, anunciaram que Mine Tezgul passará a ser a responsável pela estratégia de pequenas empresas britânicas. Mine apoiará Philip Dicken, responsável de ações europeias, que assumirá o controlo do fundo Columbia Threadneedle’s Europe ex. UK Small Cap.

Por outro lado, a Investec Asset Management pôs os olhos no segmento de multiativos, onde fizeram uma transferência estratégica para fortalecer a sua gama. A empresa incorporará em julho James Elliot, um profissional com 24 anos de experiência, como responsável da equipa de multiativos. Elliot é o fundador e co-gestor da mítica gama da JP Morgan Global Macro que inclui o JP Morgan Global Macro Opportunities. O seu papel na Investec AM será o de ampliar as novas estratégias de multiativos que se adequem às necessidades de clientes internacionais. A nível de equipa e processo de investimento de fundos já consolidados como o Investec Global Multi-Asset Income nada muda, segundo refere a gestora.

Outra mudança relevante foi a saída de Guido Barthels, gestor do Ethna-DEFENSIV da Ethena. Barthels esteve à frente da estratégia desde 2008. Os fundadores da empresa, Luca Pesarini e Arnoldo Valsangiacomo, ficarão a cargo da gestão da carteira do fundo, e, portanto, assumirão uma maior responsabilidade no dia a dia do negócio.

Mais além da gestão de fundos, as empresas internacionais também reforçaram as suas equipas. A Candriam nomeou Matthieu David como Global Head of Financial Institutions and Partnerships, cargo que vai conciliar com o diretor da sucursal italiana. David vai coordenar o desenvolvimento das atividades de distribuição para as Instituições Financeiras Globais (“Global Financial Institutions” – GFI) em todos os países nos quais a Candriam opera – na Europa, na América do Norte e até na Ásia – com o fim incrementar as associações da Candriam com os principais bancos, companhias de seguros e empresas de distribuição globais que contam com uma forte presença internacional.

Empresas

Notícias relacionadas