Tags: Obrigações | Ações |

“Boas notícias para reportar: Portugal parece avançar com as reformas que tem levado a cabo”


Stefan Scheurer, vice-presidente de Global Capital Markets & Thematic Research, analisa os mercados de acções e de obrigações em diversos países do Norte e Sul da Europa, concluindo que, dos periféricos, apenas chegam bons sinais de Portugal, que “parece estar a avançar nas reformas” e Irlanda que surge como “bom aluno da zona euro apesar do declínio de 1% no desempenho económico do primeiro trimestre de 2012”. No restante, “os sinais permanecem nagativos: o preço do imobiliário em Espanha em queda, apresentando o país, pela terceira vez consecutiva, uma taxa de crescimento negativa. Na Grécia afirma que as medidas de austeridade estão aquém das metas estabelecidas, para 2013/14, pela troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional)”. Pelo lado positivo e apresentando taxas positivas de crescimento para o primeiro trimestre de 2012, surgem a Finlândia, a Bélgica, Áustria,a Holanda e a Alemanha.

No 'research' de Agosto, a AIG refere ainda que, nos mercados de acções é visivel a divisão: “desde o início deste ano, o desempenho das bolsas do sul da Europa tem estado em terreno negativo. Espanha a cair quase 25%, enquanto que outros países periféricos, com Itália, Portugal e Grécia com quedas nos 10%. Uma vez mais, países como a Alemanha, Bélgica, Áustria e Países Baixos apresentam ganhos”.

Em conclusão, Stefan Scheurer refere factores que são já descontados nos preços do mercado de capitais como os prováveis 'haircuts' nas obrigações soberanas de vários Estados Europeus.