BlackRock reabre o BSF European Absolute Return Fund


A BlackRock reabriu esta quarta-feira o BSF European Absolute Return Fund a novas subscrições. Este que é um produto long-short de ações europeias estava fechado desde janeiro de 2019 depois do seu volume alcançar níveis que obrigaram a entidade a tomar medidas para preservar a sua filosofia e proteger os participantes existentes.

Trata-se de uma das estratégias de retorno absoluto mais populares no mercado ibérico. Este ano conta com Selo FundsPeople em Portugal com as classificações Blockbuster e Consistente. Dos 1.300 milhões de euros que o produto gere, quase metade correspondem a investidores ibéricos (600 milhões). A boa receção por parte dos investidores deve-se aos resultados gerados. Desde o seu lançamento em 2009 o produto gerou uma rentabilidade anualizada líquida de 3,06%, com uma volatilidade que se manteve em torno dos 3%. Com dados do fecho de abril, o produto oferece um retorno positivo de 5,1% em 2020.

O fundo é gerido por Stefan Gries e David Tovey, que se apoiam na equipa de ações europeias da BlackRock, composta por 21 gestores e analistas e que gerem aproximadamente 26.000 milhões de euros. No que diz respeito ao BSF European Absolute Return investem a longo prazo nas empresas com maior potencial de revalorização e a curto prazo nas que veem com fundamentais mais débeis. A exposição líquida ao mercado oscila entre +25% e -25%.

Entre as principais características do produto destaca o facto de ter uma posição por ação de +5% / 3% face ao NAV de fundo, uma exposição bruta máxima de 150% e de poder, se assim os gestores o considerarem necessário, estar 100% em liquidez. A sua correlação com o MSCI Europe desde o seu início é de -0,14 e o beta de -0,03.

Empresas

Notícias relacionadas