Tags: Consultoria | Negócio |

BlackRock dá mais um passo em direção ao aconselhamento automatizado com uma nova aquisição


A maior gestora de patrimónios do mundo continua a ampliar a sua aposta no desenvolvimento de tecnologias aplicadas à consultoria. Tal como declarou Larry Fink, CEO da entidade, na última carta dirigida aos acionistas da BlackRock, o objetivo da entidade é ser “o utilizador de dados e tecnologia mais sofisticado da indústria de serviços financeiros”. Em linha com este propósito, a empresa acaba de anunciar a aquisição de uma participação no capital do robo advisor europeu Sclable Capital.

Com sede em Munich e Londres, a Scalable Capital é uma das gestoras digitais de investimentos que mais cresce na Europa: desde o seu lançamento há apenas 16 meses, captou mais de 250 milhões de euros em ativos de mais de 6.000 clientes particulares. A plataforma que têm desenvolvido oferece flexibilidade para operar em distintos idiomas e divisas através de distintos regimes fiscais e regulatórios na Europa, o que atraiu uma forte procura por parte de instituições financeiras e empresas.

A operação aconteceu numa altura em que a Scalable Capital completou uma ronda de financiamento de 30 milhões de euros – uma das mais maiores na Europa tendo em conta uma empresa com estas caraterísticas -, que serviu para elevar o financiamento total do grupo para os 41 milhões de euros. Fontes da BlackRock justificaram a entrada no capital da entidade como forma de “expandir o seu negócio com instituições financeiras e empresas”. Para além da gestora, também entraram como novos acionistas os investidores HV Holtzbrinck Ventures e Tengelmann Ventures.

Procura em alta

Como consequência do movimento, Patrick Olson –diretor de investimentos em EMEA da BlackRock – passará a fazer parte do Comité de Supervisão da Scalable Capital. Este declarou que “o contexto de distribuição de retalho está a evoluir muito rápido, à medida que os consumidores se comprometem cada vez mais com os seus investimentos financeiros através do recurso à tecnologia”.

Olson observa deste modo que este tipo de movimentos corporativos se está a converter numa norma a seguir: “Esta tendência está a impulsionar, por parte das instituições financeiras europeias – incluindo bancos, seguradoras, bancas privadas e empresas de consultoria – uma forte procura por soluções de investimento que integrem tecnologia de elevada qualidade”. Assim, nesta linha de pensamento, a participação da BlackRock no capital da Scalable permitirá “cumprir com as necessidades em constante evolução dos nossos clientes e ajudará a dar forma aos seus modelos de negócio no futuro”.

Por seu lado, a Scalable Capital espera que “o contexto regulatório em mudança na Europa fomente o aumento da proteção dos investidores, a acessibilidade e a transparência por parte das instituições financeiras”. No comunicado oficial sobre a operação foi esclarecido que o robo advisor continuará a operar de forma independente na sua seleção de produtos e nas suas decisões em matéria de alocação de ativos.

Não é a primeira vez que a BlackRock investe numa empresa de serviços de consultoria automatizada. Já tinha feito o mesmo nos EUA com a aquisição da FutureAdvisor no ano passado. Além disso, a último compra é complementada com a plataforma de soluções tecnológicas Aladdin Risk for Wealth Management e as aplicações iRetire e iCapital. A BlackRock está a levar tão a sério a automatização de alguns serviços que há uns meses anunciou que substituiria alguns dos seus gestores por sistemas de inteligência artificial.

 

 

 

Empresas

Notícias relacionadas