Tags: Negócio |

BCP é o emitente com maior representatividade na carteira do PSI20


De acordo com os indicadores do mercado de capitais português publicados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, relativos ao passado mês de novembro, o PSI20 apresenta uma valorização homóloga positiva de 20,4%. Assim, no final do penúltimo mês do ano, o principal índice acionista nacional terminou nos 5.363,07 pontos

Por outro lado, no mesmo relatório podemos observar que a composição da sua carteira tem vindo a sofrer algumas alterações, em particular nas três principais posições.

Peso em carteira do BCP aumenta 11,33 p.p.

De facto, se a novembro de 2016 a Galp Energia (15,62%), Jerónimo Martins (14,46%) e EDP (12,35%) eram as cotadas nacionais com maior representatividade no índice, hoje o cenário é ligeiramente diferente.  

Olhando para os valores apresentados relativos a novembro de 2017, verificamos que os emitentes que maior preponderância apresentavam no principal índice acionista português eram o Banco Comercial Português (16,21%), a Galp Energia (11,96%) e a Jerónimo Martins (10,80%).

Recorde-se que, desde março deste ano, o BCP é a cotada nacional com maior peso na carteira do PSI20. Também nos fundos que investem em ações nacionais a preponderância do Banco em carteira tem sido evidente; no total do fundos mobiliários portugueses o BCP tem sido também o título português de eleição, segundo o que informa a CMVM nos seus indicadores de síntese sobre a gestão de ativos. 

O BCP é, aliás, o emitente que maior variação homóloga apresenta, passando de uma preponderância de 4,88% para 16,21% - um crescimento de 11,33 pontos percentuais. Em sentido contrário terminaram, precisamente, a Galp Energia e a Jerónimo Martins, ambos com uma variação homóloga negativa de 3,66 pontos percentuais.

Captura_de_ecra__2017-12-6__a_s_12

Fonte: CMVM, 30 de novembro 

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido