Tags: Obrigações | Ações |

BBVA refere que sector externo continuará a suportar crescimento económico


O BBVA Research acredita que o sector externo continuará este ano a suportar a economia, depois de uma contribuição positiva estimada para o último trimestre de 2012.

“As expectativas de uma ligeira recuperação nos países da Europa central, juntamente com o crescimento ainda robusto das economias emergentes, corrobora a nossa visão de que o sector externo continuará a suportar o crescimento económico em 2013 e, conjugado com a queda das importações, permitirá uma maior correcção do desequilíbrio da balança corrente”, referem os analistas, no Observatório Económico sobre Portugal.

Quanto ao último trimestre do ano passado, as séries da balança comercial ajustadas de sazonalidade (disponíveis até Novembro), sinalizam “um enfraquecimento das exportações”, o qual “pode estar associado à queda da actividade no conjunto da Zona Euro no final do ano passado, que foi generalizada para todos os Estados membros. Em Outubro – Novembro, a queda das exportações foi de 2% face ao terceiro trimestre, é referido no documento, no entanto, o maior ritmo de queda das importações (de 3% face ao período entre Julho e Setembro) “sugere que as exportações líquidas voltarão a contribuir positivamente para o crescimento” no quarto trimestre.

Queda estimada de 0,9% do PIB

Sobre a evolução do Produto Interno Bruto (PIB), as estimativas do BBVA Research indicam que este terá contraído 0,9% no último trimestre de 2013, face aos três meses anteriores, e cerca de 3% no conjunto de 2012, “um pouco mais que o esperado há três meses (2,8%)”.

Para o actual trimestre, os dados resumem-se a indicadores de confiança disponíveis para o mês de Janeiro; contudo, os analistas referem que “não são muito positivos, já que voltaram a apresentar uma deterioração”. Quanto ao Produto, a estimativa, “ainda de forma muito preliminar”, indica que a contração do PIB “poderia ser um pouco menos negativa no primeiro trimestre, cerca de meio ponto do PIB”.

No mesmo documento, os analistas referem ainda que os ajustamentos em curso “continuam a condicionar negativamente a procura interna”, mencionando nomeadamente os dados da produção industrial e também das vendas a retalho; estes últimos “indiciam que a queda do consumo privado se terá intensificado no final de 2012, reflectindo uma nova deterioração no mercado de trabalho [...], bem como uma forte queda do rendimento das famílias” durante o ano passado.

Os analistas do BBVA Research referem ainda no Observatório Económico que, o cumprimento da meta orçamental em 2012 e as medidas anunciadas para este ano “devem resultar num aumento da confiança dos mercados, que já no final de Janeiro permitiu a colocação de dívida de longo prazo portuguesa”, facilitando assim o acesso aos mercados financeiros.

Empresas

Notícias relacionadas