Tags: Negócio |

Banco BPI e Novo Banco reforçam posição na comercialização de fundos estrangeiros


A atividade de comercialização de fundos estrangeiros em Portugal sofreu com a queda correlacionada dos mercados que se verificou no final de 2018. Se em março desse ano o total dos ativos comercializados em Portugal ascendia a 4.212,1 milhões de euros, no final do ano estes não ultrapassavam os 4 mil milhões de euros. No entanto, desde então, os mercados mostraram um comportamento positivo e o total de ativos em fundos estrangeiros comercializados em Portugal no final do primeiro trimestre do presente ano ascendeu ao ponto de ultrapassar o valor verificado no período homólogo de 2018.       

Em termos do panorama de quotas de mercado, nada se alterou ao longo do último ano no que se refere aos líderes do mercado. O Deutsche Bank encabeça a tabela com mais de um terço do mercado e um crescimento de quota de mercado positivo, tanto trimestralmente como anualmente.

Contudo, algumas entidades comercializadoras viram a sua posição mais reforçada nos últimos 12 meses. Em primeiro lugar, o Banco BPI ultrapassou o BBVA e passou a ocupar o sexto lugar da tabela, o que resultou de um ganho de 1,61 pontos percentuais na sua quota de mercado. Também o Novo Banco ascendeu um lugar no ranking por quota de mercado de comercialização de fundos estrangeiros. Este agregava 2,8% do mercado no final de março de 2018 e fechou o primeiro trimestre de 2019 com 3,2%, ultrapassando o BiG neste segmento.

Por fim, destaque para a quota de mercado do Banco Finantia. Este agregava 40,3 milhões de euros (1% do mercado) no final do primeiro trimestre de 2018, mas apenas 2,2 milhões de euros no período homólogo do presente ano (0,1%). 

Captura_de_ecra__2019-05-15__a_s_17

Notícias relacionadas