Tags: Obrigações |

AXA World Funds - Global Inflation Bonds: Estratégia dedicada e líquida


A entidade gestora AXA IM disponibilizou a seguinte informação sobre o fundo AXA World Funds - Global Inflation Bonds, classificado com o selo Blockbuster pela Funds People:

AXA World Funds - Global Inflation Bonds

Breve descrição do fundo

O AXA WF Global Inflation Bonds fund é gerido ativamente para capturar oportunidades no mercado de obrigações ligadas à inflação. A equipa de gestão de carteiras investe principalmente nas obrigações que fazem parte do universo de Inflação Global (i.e. obrigações relacionadas com inflação estrangeiras de economias avançadas). A alocação de ativos nos diferentes emissores e nas curvas de yield está no centro da nossa estratégia.

Uma exposição de um terço de obrigações governamentais nominais pode ser usada para limitar a exposição à inflação em termos de inflação em queda que poderá afetar negativamente os cupões.

Principais diferenças face a produtos semelhantes no mercado

Enfoque nas obrigações relacionadas com a inflação

Investimento em obrigações relacionadas com inflação e as obrigações nominais emitidas pelos mesmos emissores como parte das Transações “Brakeven”. Evitamos investir noutras classes de ativos tal como o crédito nominal, ações ou commodities (as últimas são proibidas).

Indexação de aperfeiçoamento

Durante períodos de queda de inflação alocamos a obrigações nominais para limitar o impacto de quedas dos cupões.

Enfoque de meio termo

A nossa sessão de previsão trimestral está no centro da nossa estratégia. Definimos a estratégia que irá ser implementada durante o trimestre seguinte com a flexibilidade para adaptar a novas condições de mercado.

Dedicada e líquida

Não nos envolvemos em transações cambiais ativas, temos um uso limitado de derivados e focamo-nos na alocação aos mercados de obrigações relacionadas com a inflação. Privilegiamos a alocação ativa nas obrigações mais líquidas ou títulos “on the run”. Isto garante um perfil de liquidez melhor do que abordagens passivas que usam derivados ou títulos menos líquidos e mais antigos.

Uso flexível do orçamento de risco

Adaptamo-nos a condições de mercado novas e somos capazes de capturar oportunidades e alcançar o nosso objetivo de geração de performance: pretendemos gerar uma performance mensalmente, evitando um posicionamento “extremo” para assegurar consistência ao longo do tempo.

Objetivo de investimento

O principal objetivo do AXA WF Global Inflation Bonds Fund é gerar retornos reais durante o meio termo enquanto pretendemos proteger contra defaults ao investir em títulos altamente classificados. Procuramos performance através de uma exposição dinâmica a obrigações relacionadas maioritariamente com inflação emitidas por governos, corporações da OCDE ou instituições públicas a nível mundial.

Não temos uma meta de retornos explícita como resultado, em grande medida, de não usar um índice de referência. Prevemos uma outperformance bruta de entre 50 a 100 pbs anualmente durante um ciclo de mercado completo.

Reconhecemos que os principais riscos associados aos investimentos em obrigações relacionadas com a inflação são a verdadeira classificação de duração, seguida pelas mudanças em breakevens, e só então, na maioria dos casos, indexação de inflação. Assim, trabalhamos intimamente com os gestores de carteiras dentro da nossa plataforma de obrigações para refinar as nossas expectativas de movimentos de futuro da dita curva de yield verdadeira.

Por último, pretendemos aumentar o rendimento de carteira através de uma alocação de ativos dinâmica na parte final curta da curva para maximizar o carry.

Restrições de investimento

Qualidade de emissores:

Mínimo de 90% dos ativos líquidos do fundo em títulos de investment grade (classificados com pelo menos BBB – pelo Standard & Poor’s ou classificação equivalente pela Moody’s ou Fitch ou, se não forem classificadas, depois de serem consideradas como tal pelo Gestor de Investimento). Se dois ratings diferentes ou agências de rating existirem, o rating mais baixo será considerado, se mais de dois ratings diferentes de agências de rating existirem, o segundo maior rating será considerado.

Máximo de 10% dos ativos líquidos totais em instrumentos high yield (historicamente sem exposição).

Geográficas:

Core: +/-25% da alocação do indicador da performance

Periferia europeia: +/-20% da alocação do indicador da performance

Mercados emergentes: máximo de 10% dos ativos líquidos do fundo (totalmente coberto FX)

Setoriais:

Os limites setoriais não são aplicados, uma vez que é um fundo de obrigações soberanas. Relativamente à exposição às obrigações relacionadas com a inflação e obrigações nominais, máximo de 33% dos ativos líquidos totais do fundo podem ser investidos em obrigações nominais.

Intervalos de duração

O fundo é gerido com uma sensibilidade de taxa de juro que vai dos 5 aos 15. Também aplicam um limite de duração que corresponde a +/-25% relativamente ao indicador de performance.

Nos últimos cinco anos, a duração variou entre os 10,76 e os 13,35. No dia 30 de abril de 2018 a duração do AXA WF Global Inflation Bonds fund era de 12,28.

Benchmark e tracking error

É de relembrar que o AXA WF Global Inflation Bonds fund não tem um benchmark. O Bloomberg Barclays Capital World Government Inflation-Linked Bond Hedged EUR index é um indicador de performance dado apenas para fins de comparação.

O fundo tem como alvo um tracking error de entre 0 e 150 pbs. Abaixo, encontra-se o tracking error anual do fundo:

1111

Número de títulos e rotatividade

108 posições de obrigações no dia 30 de abril 2018.

A rotatividade anual do fundo é de 108,40% no dia 31 de dezembro 2017.

(COMPRAS TOTAIS + VENDAS TOTAIS) – (SUBSCRIÇÕES TOTAIS + RESGATES TOTAIS) X100 a dividir pela MÉDIA MENSAL DOS ATIVOS LÍQUIDOS TOTAIS

Política de risco

A gestão de risco e de controlo é uma parte muito importante da nossa filosofia de investimento e é totalmente integrada no nosso processo de investimento e operacional.

O enquadramento dos riscos e controlos globais da AXA IM são baseados na gestão de risco diária pelos gestores de carteira e de uma série de controlos desempenhados por funções independentes:

1

Controlos desempenhados pela gestão de carteiras (nível 1.1)

A gestão de risco sistemática diária é da responsabilidade dos gestores de carteiras que monitorizam especificamente as restrições de portfolio, os indicadores de risco, o risco de mercado e liquidez com a ajuda de várias ferramentas.

Os gestores de carteiras dentro da divisão de obrigações também beneficiam da construção precisa e supervisão integrada na forma do Grupo de Soluções e Construção de Carteiras. Uma equipa global de oito profissionais de investimento dedicada, são responsáveis por:

  • Otimização de carteiras
  • Testes de stress/análises de cenário
  • Monitorização e supervisão de risco
  • Atribuição de performance
  • Desenvolver e manter o pacote sofisticado de ferramentas usado no processo de investimento em obrigações globais

O Grupo de Soluções e Construção de Carteiras adiciona uma camada extra de monitorização de risco dentro da equipa de investimento, e traz uma perspetiva diferente ao processo de investimento. Estas recomendações da equipa desempenham um papel essencial em assegurar que as características de risco/recompensa dos nossos portfolios são otimizadas.

Controlos desempenhados pelas Funções Independentes

Cerca de 200 funcionários com funções de controlo e monitorização trabalham dentro das Operações, Matrizes de Investimento, funções de Gestão de risco e de Compliance na AXA IM.

Operações (nível 1.2)

No primeiro nível, é realizado um controlo operacional sistemático pelo departamento de Operações, responsável pela qualidade dos dados e serviços fornecidos pelo middle-office e, em particular, por toda a informação relacionada com as carteiras. Este departamento está estruturado em torno de três grandes funções:

  • Os gestores de transações asseguram a integridade dos fluxos de negócio entre traders, corretores e do middle-office,
  • Os Portfolio Controllers asseguram a integridade de carteiras (incluindo o Valor  Ativo Líquido das carteiras). Os portfolios controllers interagem intimamente com os gestores de carteiras e middle/back office.
  • O departamento de “Operações” gere a relação com os nossos fornecedores externos principais e monitoriza a qualidade dos serviços fornecidos. Supervisiona mais especificamente as nossas relações diárias com o Sate Street Bank. Os controllers trabalham intimamente com as equipas de gestão, os middle/back offices e do Departamento de Risco

Matrizes de Investimento (nível 1.2)

A equipa de Matrizes de Investimento é responsável por monitorizar controlos sistemáticos e independentes de fundos contra as matrizes estabelecidas pelo cliente, regulador ou quaisquer limites estabelecidos internamente. As exceções identificadas são reportadas à equipa de investimento e à função de controlo relevante.

Gestão de risco global (nível 2)

Um segundo nível de controlo baseado em exceções independentes é realizado pela Gestão de Risco Global que controla os riscos operacionais, crédito e de contraparte e mercado.

Análises de Risco de Investimento e Padrões: é responsável pela identificação, análise, diminuição e controlo de segundo nível de riscos de modelagem e de investimento. São responsáveis pela definição e validação das metodologias de risco de investimento e modelos de valorização usados pelo grupo AXA de empresas.

Gestão de Risco Operacional: é responsável pela identificação, monitorização, divulgação, avaliação e controlo de riscos operacionais ao longo da organização bem como recomendação de diminuição e monitorização.

Gestores de risco senior de competência agem como gestores de risco independentes para uma competência específica. Fornecem conhecimento acerca de riscos essenciais às equipas de gestão de investimento e de Gestão de Risco Global na AXA IM.

Compliance (nível 2)

O compliance é outra função de controlo de segundo nível. A AXA IM tem uma equipa de Compliance global, responsável por estabelecer os padrões aplicáveis a todas as subsidiárias da AXA IM. Os padrões estão relacionados com a ética profissional, procedimentos de controlo e cumprimento regulatório. O departamento de Compliance estabeleceu uma Tabela de Compliance que reflete os princípios éticos profissionais orientadores seguidos pelos funcionários da AXA IM.

O Compliance também é responsável pela monitorização de identificação, reporting, avaliação e controlo de segundo nível de riscos relacionados com o compliance, leis e regulamentos através da organização bem como recomendação de reuniões e monitorização.

Auditoria interna (nível 3)

O terceiro nível de controlo, efetuado pela equipa de Auditoria Interna, fornece uma avaliação independente e periódica da eficácia dos procedimentos e controlos da AXA IM. Um comité de Risco e Auditoria, que consiste principalmente em membros independentes, supervisiona os processos de controlo de risco bem como as demonstrações financeiras.

Política de liquidez

Tratamos muito bem da liquidez dos portfolios e tentamos evitar ativos menos líquidos. Assim:

  • não nos envolvemos em transações cambiais ativas;
  • não investimos em colocações privadas;
  • temos um uso limitado de derivados;
  • focamo-nos na alocação nos mercados de obrigações ligados à inflação

As obrigações relacionadas com inflação governamentais, que compõe a maioria dos títulos do fundo são altamente líquidas. Seguindo uma seleção de obrigações, os gestores de carteira monitorizam continuamente os níveis de liquidez dos títulos de carteira através do processo. Monitorizam intimamente a liquidez, entre vários fatores, para a construção da carteira. Medimos e monitorizamos o risco de liquidez ao acompanhar o volume de transações médio e tamanho das transações individuais, número de brokers que transacionam o título e emitem o tamanho. Além disso, usamos as nossas ferramentas proprietárias para aprender a partir das nossas próprias transações.

Cobertura cambial

A moeda base do fundo é o euro e todas as exposições a não euros são cobertas de volta para o euro através de forwards FX de um mês que são renovados sistematicamente.

Uso de derivados

Tendemos a usar derivados como uma ferramenta para fins de gestão eficiente e/ou cobertura. Usamos derivados quando é a forma mais eficiente de implementar rapidamente uma mudança em vista ou ajustar a carteira para refletir fluxos de entrada e saída de receitas. Em princípio, os tipos de derivados principais usados incluem os seguintes:

  • Forwards FX para fins de cobertura cambial;
  • Futuros de obrigações/taxas para a gestão da curva e duração;
  • Swaps de inflação para uma exposição breakeven à inflação.

Embora a AXA IM tenha capacidades inovadoras ao nível dos derivados, o uso de tais produtos permanece relativamente limitado no contexto da nossa estratégia de Inflação Global, uma vez que pretendemos manter a estratégia tão simples e transparente quanto possível, focando assim, fundamentalmente em obrigações. A exposição global a estes instrumentos pode não exceder 100% do Valor de Ativo Líquido do fundo.

Nos últimos cinco anos, a exposição bruta a derivados variou entre os -7,63% e os 6,17%. No dia 30 de abril de 2018, a exposição bruta a derivados era de 5,83%.

Notícias relacionadas