Tags: Negócio |

Ativos sob supervisão do Banco BiG aumentaram 18% no ano passado


2014 foi um ano melhor do que o anterior no Banco BiG. Os resultados da entidade cresceram 41% para mais de 82,5 milhões de euros. Em termos absolutos esse aumento foi de quase 24 milhões de euros.

De acordo com o comunicado da entidade, “os resultados de 2014, foram gerados inteiramente em Portugal e reflectem receitas significativamente mais elevadas das actividades de investimento e tesouraria, uma subida de 75% em comissões liquidas, e uma margem financeira relativamente estável”. Esse aumento das comissões líquidas fez com que esta rúbrica fechasse o ano com quase 11,5 milhões de euros.

Os ativos sob supervisão, que englobam os ativos sob gestão, sob custódia e depósitos de clientes, sofreram um aumento de 18% para mais de 2.500 milhões de euros.

Já as “receitas não ligadas à margem financeira, o núcleo do negócio especializado de banca de investimento do BiG, representaram 85,2% do Produto Bancário em 2014, o que compara com 79,4% em 2013. A margem financeira contribuiu das receitas de 2014, comparativamente a 20,6% em 2013”, como se pode ler no comunicado.

Em 2014, o BiG continuou a beneficiar de um modelo de negócio focado, alicerçado numa cultura de disciplina financeira e controlos rigorosos. Acreditamos num crescimento sustentado, até agora atingido de forma orgânica e inteiramente em Portugal, baseado nos fundamentais de negócio que nos têm norteado durante muitos anos. Entre estes incluem-se uma politica de baixa alavancagem, níveis altos de liquidez e capitalização várias vezes superior ao regulatoriamente exigido", comentou Carlos Rodrigues, CEO do Banco BiG, em comunicado.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido