Ativos líquidos de Portugal face ao exterior diminuem no primeiro semestre


A mais recente nota de informação estatística, relativa à posição de investimento internacional (PII) de Portugal no primeiro semestre de 2017, publicada pelo Banco de Portugal, dá conta de uma redução de 0,6% face ao final de 2016. Assim, de acordo com a entidade, no final do período em questão a PII fixou-se nos 198,2 mil milhões negativos, algo que resultou “da valorização dos passivos emitidos por residentes, nomeadamente, pelas administrações públicas, e à redução do valor dos ativos emitidos por não residentes na posse de residentes, devido à apreciação do euro”.

Por outro lado, as variações de preço e cambiais impactaram de forma negativa os ativos líquidos de Portugal face ao exterior, resultando na sua diminuição em 4,3 mil milhões de euros.

A entidade destaca, ainda, que a dívida externa líquida de Portugal (que resulta da PII excluindo os instrumentos de capital e derivados financeiros) atingiu, no final de junho de 2017, os 176,1 mil milhões de euros. Apesar do aumento de 1,0 mil milhões de euros, o aumento do PIB mais do que compensou o aumento nominal da dívida. De facto, “a dívida externa líquida em percentagem do PIB reduziu 1,1%, passando de 94,7% para 93,6%, entre o final de 2016 e o final do primeiro semestre de 2017”, pode ler-se na publicação.

Captura_de_ecra__2017-08-21__a_s_17

Fonte: Banco de Portugal, junho 2017. 

Notícias relacionadas

O Mais Lido