Tags: Negócio |

Atividade de fusões e aquisições atinge valor mais elevado dos últimos anos


O mercado de fusões e aquisições nacional parece estar a viver um bom momento. Segundo revelou a Mergermarket na 2ª edição do M&A Outlook: Portugal Breakfast Briefing, se incluídos os 22.900 milhões de euros relativos à proposta de aquisição da EDP por parte da China Three Gorges, o montante total das operações de fusões e aquisições ascende a 27.200 milhões de euros desde o início do ano – o valor mais alto registado até agora por parte da entidade.

Por outro lado, “mesmo excluído da contagem o valor desta OPA, a atividade de fusões e aquisições registadas em Portugal em 2018 (de 4.300 milhões de euros) já ultrapassa os valores dos anos de 2016 (3.700 milhões de euros) e de 2017 (3.600 milhões de euros), em linha com a recuperação económica do país nos últimos anos”.

Captura_de_ecra__2018-11-19__a_s_15

Sobre as operações registadas, a entidade revela que a maioria são operações inbound, com 73,8% dos negócios a serem levados a cabo por investidores estrangeiros (maioritariamente provenientes do resto da Europa), o que se traduziu em 45 transações no valor de 26.000 milhões de euros. Apesar de menos uma operação em comparação com o ano transato, as operações inbound provenientes de Espanha atingiram o valor mais elevado até agora, com 1.700 milhões de euros.

Por outro lado, segundo revela a Unquote (publicação-irmã da Mergermarket), verificou-se uma desaceleração da atividade em geral de private equity, com apenas duas aquisições (buyouts) no valor de 170 milhões de euros. Não obstante, a entidade refere que a perspetiva se mantém positiva, destacando que o valor registado em 2017 (1.100 milhões de euros) foi impulsionado pelo sucesso da operação Lone Star/Novo Banco, que se traduziu num total de 1.000 milhões de euros. Assim, “se excluída a operação do Novo Banco, as aquisições em Portugal no ano de 2018 (170.000 milhões de euros) alcançaram um valor superior ao de 2017 (145.000 milhões de euros)”, pode ler-se no comunicado.

Captura_de_ecra__2018-11-19__a_s_16

Para Jonathan Klonowski, research editor EMEA da Mergermarket refere que este ano se tem verificado um aumento considerável em M&A em Portugal, sendo que “a recuperação em curso deverá fazer com que empresas e patrocinadores financeiros continuem ativos em 2019”.

Já Mariana Norton, M&A and PE partner da Cuatrecasas, destaca o dinamismo do mercado português, apontando que este “está manifestamente ‘hot’, atraindo fundos nacionais e internacionais que procuram investir em empresas médias e em empresas familiares”. Assim, como tendência avança que se assiste ao surgimento de novos players no mercado de private equity, cujas equipas locais “muito experientes levantam fundos a nível local e internacional para investirem em pequenas e médias empresas com diferentes estratégias – foco na exportação e consolidação de oportunidades ou negócios rentáveis com capacidade de crescimento”, detalha. Destaca, ainda, que os GP Ibéricos e internacionais, e também fundos, “têm Portugal no radar, na busca de oportunidades no segmento ou negócios de maior dimensão”.

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente